Ewá

Ewá ou Yewá é a divindade que possui o dom da vidência e uma apuradíssima intuição, além de ser a regente da neblina, a padroeira de tudo que é virgem e intocável, a senhora das mutações e a responsável, juntamente ao seu irmão Oxumaré, pelo vigor do arco-íris.

Ademais, essa Orixá possui uma graça inigualável, sendo a representante da beleza e da sensualidade. Ela também é um modelo de esperteza, sendo uma exímia e sábia guerreira e já tendo enganado a morte numerosíssimas vezes.

Ewá
Ewá

Lenda de Ewá

Filha de Oxalá e Nanã e irmã de Oxumaré e Omolú, Ewá nunca se interessou em se casar, preferindo conservar-se casta e voltar-se ao aprendizado e às descobertas dos mistérios que circundam as mutações da natureza.

No entanto, apesar de sempre deixar seus desejos muito claros, Ewá sofria constantes pressões, de Nanã e dos Orixás que se encantavam com a sua beleza, para que escolhesse um esposo.

Desesperada, a Orixá pediu o auxílio do seu irmão Oxumaré, que a levou até o fim do arco-íris, onde ninguém sabia mais chegar. Ewá, então, passou a viver com o seu irmão, praticando o que deseja.

Qualidades de Ewá

Ewá possui uma quantidade considerável de qualidades; veja-as a seguir:

  • Awo: é a senhora dos jogos de búzio; sempre está acompanhada de Ossayn, Oxóssi e Oyá;
  • Bamio: é a senhora das pedras valiosas; caminha com Ossayn;
  • Fagemy: é a senhora dos arco-íris; caminha com Oxalá e Oxum;
  • Gyran: é a senhora dos raios solares; caminha com Omolú; Oxóssi e Oxum;
  • Gebeuyin: assume a forma de uma serpente de cor azul durante os temporais; caminha com Omolú, Oxum e Oyá;
  • Salamim: é a senhora da guerra e das matas; caminha com Iemanjá e Odé.

Características dos Filhos de Ewá

Um dos aspectos mais notáveis dos filhos de Ewá é a sua instabilidade temperamental. Também é normal que estas pessoas sejam distraídas, sugestionáveis e dotadas de uma peculiar beleza, além de serem naturalmente encantadoras, embora se tornem arrogantes e ásperas muito facilmente.

Candomblé e Igreja Católica

À Ewá, foi sincretizada a Santa Luzia, a qual, além de ser a protetora dos que padecem de problemas visuais, optou por manter a sua virgindade, pois preferiu dedicar-se ao espiritualismo no lugar da vida carnal, tal como fez e faz a Orixá.

Ewá na Umbanda

Ewá é mais cultuada no Candomblé, sendo menos idolatrada na Umbanda, quando em comparação a outros Orixás. Inclusive, muitos umbandistas sequer têm conhecimento sobre existência da Orixá.

Oferendas

O alimento comumente ofertado à Ewá é o adimu, já que ele é o que mais contenta a divindade.

É válido ressaltar que as oferendas tendem a ser mais bem sucedidas quando são deixadas na beira de lagos ou de rios e que não devem ser oferecidos alimentos que contenham galinha à Orixá, pois essa é a sua quizila.

  1. Adimu:

O modo de preparo do adimu é extremamente simples. Os ingredientes necessários são: feijão fradinho e preto, milho de galinha, batata doce picada, camarão seco, banana da terra picada, coco picado em cubos e 01 vela branca.

Primeiramente, é preciso refogar os feijões – em recipientes separados – e cozer as batatas, o milho e o coco – também em vasilhas distintas. Feito isto, basta dispor os alimentos, em quantidades pequenas e similares, em um alguidar, misturá-los e oferecê-lo junto à vela para a Orixá.

2 respostas para “Ewá”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *