São Jerônimo: História, Oração, Biografia e Dia de São Jerônimo

São Jerônimo de Caravaggio

São Jerônimo, também conhecido como Jerônimo de Estridão, foi um renomado sacerdote cristão. Ele se popularizou por ter sido o primeiro religioso a traduzir a Bíblia para o latim, tornando os textos sagrados acessíveis à população.

Além de ser considerado o padroeiro dos tradutores e dos secretários, o santo, que também foi teólogo e historiador, é tido como doutor pela Igreja, sendo, portanto, muito cultuado e prezado pelos católicos.

São Jerônimo de Caravaggio
“São Jerônimo”, Caravaggio, 1606

História de São Jerônimo

São Jerônimo, batizado como Eusébio Sofrônio Jerônimo, nasceu no ano de 347, na extinta cidade de Estridão.

Procedente de uma família devota e rica, o sacerdote recebeu uma excelente educação, tanto no âmbito religioso quanto no viés intelectual, o que impulsionou fortemente o seu interesse pelo conhecimento. Assim, quando os seus pais faleceram, ele decidiu morar em Roma, para se dedicar aos estudos.

Embora fosse cristão, Jerônimo não recebeu o batismo enquanto criança. Então, aos 25 anos, ele decidiu que passaria pelo rito, o que foi decisivo para a sua vida. O sacramento fez surgir no jovem um grande desejo pela vida religiosa, de modo que ele escolheu se mudar para o Estado de Gália, a fim de viver em uma comunidade de monges.

Depois de passar um período nessa congregação, Jerônimo decidiu que carecia de um exílio mais rigoroso. Então, ele se isolou no deserto, onde passou por um severo e extenso fortalecimento.

Exílio de São Jerônimo Cenas da Vida de São Jerônimo Sano di Petro 1444
São Jerônimo durante seu isolamento, “Cenas da Vida de São Jerônimo”, Sano di Petro, 1444

De lá, o sacerdote seguiu para Constantinopla, capital do Império Romano. Na cidade, ele se encontrou com São Gregório, que o influenciou a estudar os textos bíblicos. Jerônimo, então, passou a se dedicar de modo árduo a isso, tornando-se rapidamente popular pelo conhecimento que possuía nessa área.

A fama do religioso se espalhou de tal modo que Dâmaso I, então chefe da Igreja Católica, chamou-o para traduzir a Bíblia. Embora essa atividade tenha exigido anos de dedicação do sacerdote, ele conseguiu transpassar os escritos para o latim de maneira extremamente fiel.

Após ter concluído esse trabalhou, Jerônimo decidiu se mudar para Belém, indo morar em um dos mosteiros construídos por Santa Paula. Lá, ele continuou a se ocupar com a teologia e com os textos sagrados.

Em 416, o sacerdote teve que se refugiar de partidários que estavam ameaçando-o. Então, ele se exilou em um reduto próximo à Cidade Santa, onde permaneceu até o ano de 420, quando veio a falecer.

São Jerónimo e o Leão, Fra Filippo Lippi
“São Jerónimo e o Leão”, Fra Filippo Lippi, 1406

Durante seus últimos anos, se passou uma das histórias mais famosas de São Jerônimo. Enquanto vivia em um mosteiro na terra santa, São Jerônimo foi visitado por um leão com a pata machucada. Sua pata estava perfurada por um espinho.

São Jerônimo recebeu o leão em seu mosteiro, removeu o espinho de sua pata e tratou a fera como se fosse um animal doméstico. Em pouco tempo, a pata ferida curou, e o leão passou a proteger o monastério.

Dia de São Jerônimo

Para a realização das comemorações de São Jerônimo, a Igreja Católica escolheu o dia 30 de setembro, que marca o aniversário de morte do santo. A Igreja Ortodoxa, por outro lado, celebra o monge em outra data, no dia 15 de junho.

Conheça também outros santos:

Oração a São Jerônimo

Como explicitado anteriormente, São Jerônimo dedicou a sua vida aos estudos bíblicos. Dessa forma, as preces em seu nome costumam ter o intuito de clamar por ajuda para com o propósito de aceitar as ideias e normas que são transmitidas por meio dos textos sagrados.

Além disso, algumas súplicas se caracterizam por pedir o auxílio do santo na realização de desejos difíceis.

Santa Genoveva: História, Vida, Oração a Santa Genoveva

Santa Genoveva

Santa Genoveva, que também é chamada de Geneviève e Genovefa, foi uma beata francesa que viveu entre os séculos V e VI.

Sendo celebrada tanto pelos católicos quanto pelos ortodoxos, essa religiosa se popularizou pela sua devoção a Cristo e pelos seus diversos feitos, muitos dos quais foram tidos como milagrosos. Aliás, por causa de um desses eventos, que ocorreu quando a santa protegeu Paris de invasores, ela é considerada a padroeira da capital francesa.

Santa Genoveva
Santa Genoveva

Oração de Santa Genoveva

Além de ser padroeira de Paris, Genoveva é tida como a protetora contra as guerras e contra as epidemias. Desse modo, as preces em homenagem a ela, em sua maioria, servem para rogar pela sua proteção contra esses males.

Também, é comum que essas súplicas peçam a ajuda da santa nas batalhas que temos que travar contra as dificuldades que nos acometem, além de servirem para clamar por auxílio no intento de trilhar uma jornada que siga os preceitos cristãos.

Biografia e História de Santa Genoveva

Genoveva, filha de Geroncia e Severus, nasceu no ano de 422, em Nanterre – comuna francesa próxima a Paris.

Oriunda de uma família bastante religiosa, Genoveva foi introduzida ao cristianismo ainda enquanto jovem. Assim, não é de se espantar que a menina sempre tenha demonstrado bastante devoção para com os dogmas cristãos.

Aos 10 anos de idade, um acontecimento marcou imensamente a vida da santa: enquanto ela e a sua família assistiam à passagem do bispo Dom Germano por Nanterre, ele voltou a sua atenção para Genoveva.

Movido por um impulso divino, o santo presenteou a menina com uma cruz, além de ter lhe dito que a sua missão na Terra era grandiosa e que, para cumpri-la, ela deveria seguir longe das tentações mundanas.

Depois desse episódio, Genoveva tornou-se resoluta quanto ao caminho que seguiria. Então, aos 15 anos, ela resolveu fazer voto de castidade, prometendo a sua vida a Deus.

Quando a religiosa atingiu os 20 anos de idade, os seus pais faleceram. Então, ela resolveu se mudar para Paris, passando a morar com uma de suas madrinhas. Na capital francesa, ela começou a se popularizar, tornando-se conhecida pela sua dedicação para com Cristo e para com os pobres.

Em 451, surgiu o boato de que o Império Huno arquitetava uma invasão à Paris. Com esse rumor, os parisienses entraram em pânico e quiseram fugir da cidade. Genoveva, porém, convenceu todos a ficarem e a rogarem pela piedade de Deus. Então, o inesperado aconteceu: Átila, o rei Huno, desistiu de invadir a cidade. A partir desse momento, a santa começou a ser conhecida como a protetora da capital francesa.

Depois de uma vida longa e totalmente dedicada aos necessitados e à santidade, Genoveva faleceu, aos 89 anos, no ano de 502. A santa foi sepultada na igreja que ela mesma ajudou a construir, a Abadia de Sainte-Geneviève.

Dia de Santa Genoveva

Tanto a Igreja Católica quando a Igreja Ortodoxa realiza as festas litúrgicas de Santa Genoveva no dia 03 de janeiro. A escolha por essa data se deve ao fato de ela representar o aniversário de morte da religiosa.

Conheça também:

Santa Marta: História, Vida, Oração e Dia de Santa Marta

Santa Marta

Santa Marta representa uma importante personagem das histórias bíblicas, tendo sido apontada diversas vezes nos evangelhos.

De acordo os mesmos, ela era irmã de Lázaro e de Maria, dois dos amigos mais próximos de Jesus. Além disso, os textos contam que Marta foi uma das mulheres que presenciou a ressurreição de Cristo e que o acompanhou até Gólgota.

Santa Marta
Santa Marta

Conheça também:

Atributos de Santa Marta

Santa Marta é tida como a padroeira dos cozinheiros, dos faxineiros, dos hoteleiros e dos lavadeiros.

Ela se tornou a protetora dessas pessoas, pois demonstra, nas passagens bíblicas, extrema preocupação com o conforto e a alimentação de Jesus e de seus discípulos, nas vezes em que os recebeu em sua casa.

Oração de Santa Marta

Como indicado anteriormente, Marta era extremamente acolhedora, sempre se esforçando para oferecer o melhor a Jesus e aos seus discípulos, quando eles a visitavam.

Assim, em razão de ter amparado aqueles que precisavam, as orações em seu nome costumam possuir o intento de rogar por acolhimento e por proteção.

História de Santa Marta – Biografia

De acordo com os escritos bíblicos, Marta e seus irmãos moravam em Betânia, aldeia que se situava nas proximidades de Jerusalém.  Ela viveu na mesma época em que Jesus, tendo o conhecido, além de ter construído uma relação de amizade com Ele.

O ensinamento de Jesus:

Os evangelhos contam que, quando Jesus e seus apóstolos viajavam até o vilarejo de Betânia, eles se hospedavam na casa de Marta. Aliás, a morada dela fez-se cenário de um dos acontecimentos mais intensos e simbólicos da Bíblia: quando Maria sentou-se aos pés do Messias para escutar o que Ele tinha a dizer.

Nessa cena, é transpassado um dos principais ensinamentos de Cristo. Marta, ao ver que sua irmã estava sentada na sala, enquanto ela se ocupava com todos os trabalhos domésticos, questionou Jesus, perguntando se aquilo era justo.

O Messias, então, a repreendeu, dizendo-lhe que ela se inquietava com muitas coisas, quando era preciso ter preocupação com apenas uma: escutá-lo.

A ressureição de Lázaro

Outro acontecimento importante e que envolve Marta ocorreu quando Jesus ressuscitou o seu irmão.

Santa Marta em Ressurreição de Lázaro Van Gogh 1890
Santa Marta em “Ressurreição de Lázaro”, Van Gogh, 1890

Por ter contraído lepra, Lázaro adoeceu e acabou por falecer. Marta, então, ordena que chamem o Messias, para que Ele salve o seu irmão.

A princípio, o que dá a entender é que Jesus não atenderá ao pedido. Porém, 04 dias após o sepultamento de Lázaro, Ele vai ao sepulcro do morto e o ressuscita.

Esse episódio demonstra toda a fé que Marta tinha no Salvador. Afinal, mesmo após Ele demorar dias para atender seu chamado, não perde a confiança de que Cristo a ouvirá e a atenderá. O que, de fato, acontece.

Dia de Santa Marta

O culto à Marta começou em meados do século XVIII, quando a Ordem dos Franciscanos, criada por Francisco de Assis, passou a venerá-la.

A primeira adoração ocorreu no dia 29 de julho de 1262. Como os fiéis aderiram a essa data de modo muito rápido, a Igreja optou por mantê-la, a oficializando como o dia litúrgico da santa.

Padre Cícero: História, Vida, Oração a Padre Cícero

Padre Cícero

Cícero Romão Batista, mais conhecido como Padre Cícero ou como Padim Ciço, foi um religioso católico que nasceu no Ceará e que viveu entre os séculos XIX e XX.

Tendo se tornado extremamente popular pela sua simpatia e pelos seus feitos, o sacerdote é tido como um dos padroeiros do Nordeste, além de representar uma das figuras históricas mais importantes para a região.

Padre Cícero
Padre Cícero

História de Padre Cícero – Quem foi?

Cícero Batista, filho de Joaquina Romana e de Joaquim Barbosa, nasceu em 24 de março de 1844, na cidade de Crato.

Desde cedo, o religioso esteve profundamente envolvido com o cristianismo. Assim, ainda aos 12 anos de idade, influenciado pela biografia de São Francisco de Sales – sacerdote francês, o jovem fez voto de castidade.

Em 1860, com 16 anos, Cícero foi estudar na Paraíba, onde morou até 1862, época em que seu pai faleceu e ele teve de retornar a Crato para ajudar com as despesas familiares. Já aos 21 anos de idade, o jovem se mudou para Fortaleza, onde ingressou no seminário e foi ordenado padre.

Quando Cícero tinha 28 anos, ele conheceu a cidade de Juazeiro do Norte. Encantado com o povoado, o religioso resolveu se mudar para lá, o que aconteceu um ano depois, em 1872. Aliás, reza a lenda que essa mudança repentina foi impulsionada por um sonho que o homem teve, no qual Jesus Misericordioso aparecia a ele e pedia que ele fosse cuidar dos necessitados.

Chegando a Juazeiro, Cícero empenhou-se para estimular o crescimento da cidade, promovendo reformas e uma forte evangelização. Isso fez com que ele fosse muito querido pela população e ganhasse grande influência.

Esse prestígio cresceu amplamente em 1889, ano em que um fato extraordinário aconteceu. Os relatos contam que quando Cícero, em uma tarefa usual, entregou a comunhão à religiosa Maria de Araújo, a hóstia virou sangue na boca da mulher.

Isso surpreendeu de tal modo a sociedade da época que o bispo de Fortaleza enviou duas investigações para averiguar o caso, a fim de verificar se havia acontecido um milagre ou não. A primeira comissão presenciou as transformações, atestando que o episódio era de ordem divina. A segunda, porém, negou o milagre, o que prevaleceu.

Como o padre não concordou com esse veredito, ele resolveu protestar, o que o bispo viu como insubordinação. Então, o superior suspendeu Cícero, que foi impedido de exercer as práticas comuns a um sacerdote.

Por não ter conseguido anular essa decisão, o religioso acabou por ingressar na política, sendo nomeado prefeito de Juazeiro. Além disso, ele foi eleito Vice-Governador do Estado, mas nunca chegou a exercer o cargo.

No dia 20 de julho de 1934, aos 90 anos de idade, o religioso veio a falecer. Ele foi sepultado na Igreja de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em Juazeiro, cidade onde também morreu.

Oração a Padre Cícero

Padre Cícero era bastante conhecido por cuidar dos seus fiéis, sobretudo daqueles que eram menos favorecidos. Desse modo, a maioria das preces destinadas ao religioso serve para rogar pela sua proteção e pelo seu auxílio na realização de difíceis causas.

Milagres de Padre Cícero

Sem dúvida, o milagre mais célebre dentre os que são atribuídos ao Padre Cícero é o que foi mencionado acima, quando a hóstia entregue por ele transformou-se em sangue, o que aconteceu no dia 01 de março de 1889.

Esse fenômeno, que teria se repetido várias vezes, foi altamente estimado pelos fiéis, já que passou a representar outro derramamento do sangue de Cristo.

São Geraldo: História, Vida, Oração e Dia de São Geraldo

São Geraldo

São Geraldo Magela foi um religioso italiano que viveu durante o século XVIII e que acabou se popularizando pelos seus feitos, sendo largamente venerado pela Igreja Católica.

Por ter sido erroneamente acusado de engravidar uma jovem, esse santo é tido como o padroeiro da gravidez. Além disso, ele também é considerado o patrono dos alfaiates e das pessoas que são falsamente incriminadas.

São Geraldo
São Geraldo

História de São Geraldo – Quem Foi?

Geraldo Magela nasceu no dia 06 de abril de 1726, em Muro Lucano – cidade situada ao sul da Itália. Vindo de família modesta, ele começou a trabalhar ainda jovem, aos 14 anos, quando o seu pai, que era o provedor da casa, faleceu.

Tendo aprendido a profissão do mesmo, que era alfaiate, Geraldo começou a trabalhar em uma oficina, onde continuou por 04 anos. Depois desse período, o jovem foi trabalhar para o bispo de Lacedônia, onde permaneceu até a morte do sacerdote.

Após isso, Geraldo tentou ingressar na Congregação dos Capuchinhos. No entanto, ele foi recusado, em razão de sua saúde, que era bastante debilitada. A Ordem do Santíssimo Redentor, por outro lado, o aceitou e o santo permaneceu associado à mesma até o fim de sua vida.

Em 1754, o religioso acabou sendo alvo de uma séria acusação, que se deu quando uma mulher, Néria Caggiano, o apontou como o pai do filho que ela esperava. No momento em que esse escândalo veio à tona, Geraldo se isolou, rogando fortemente por ajuda divina, para que a jovem que o acusava se arrependesse e dissesse a verdade, o que realmente aconteceu.

Esse acontecimento é importante por ter marcado muito a vida do santo, tanto que ele ficou conhecido, devido a isso, como o padroeiro das mulheres grávidas e daqueles que são acusados equivocadamente.

Um ano depois desse episódio, no dia 16 de outubro, aos 29 anos, o religioso veio a perecer, devido a um sério caso de tuberculose. soa beatificação foi concluída pelo papa Leão XII em 29 de janeiro de 1893. Mais de um século depois de sua morte, em 1904, ele foi canonizado, pelo Papa Pio X.

Conheça também:

Dia de São Geraldo Magela

Segundo a tradição da igreja católica, o dia de São Geraldo Magela é celebrado em 16 de outubro. O Santo é considerado o padroeiro das grávidas, e protetor das pessoas que são falsamente acusadas de algo.

Oração de São Geraldo

Como mencionado acima, São Geraldo é tido como o protetor das grávidas e da gravidez. Assim sendo, muitas das orações e das novenas destinadas a ele têm o intuito de pedir a sua intercessão durante a gestação.

Também, devido à fama de milagreiro que esse santo adquiriu ao longo de sua vida, há várias súplicas que pedem o seu auxílio na concretização de objetivos difíceis de serem realizados.

Milagres de São Geraldo

São Geraldo era conhecido por ter vários dons divinos. Conta a lenda que o religioso possuía o poder de estar em dois lugares simultaneamente, além conseguir prever futuros acontecimentos.

Também, o santo se popularizou pelos milagres que realizou, havendo dois, em específico, que são bastante famosos. O primeiro ocorreu quando Geraldo ressuscitou um garoto que havia caído de uma rocha.

Já o segundo feito teria acontecido quando o santo, para levar uma embarcação cheia de pescadores à orla, andou sobre as águas, carregando o barco por entre as ondas fortes que uma tempestade causava.

Jesus Misericordioso: Oração e Novena de Jesus Misericordioso

Jesus Miseriocordioso

Ao longo dos séculos, diversas denominações foram atribuídas a Jesus Misericordioso. Embora a maior parte desses nomes tenha sido retirada dos evangelhos bíblicos, algumas alcunhas surgiram de modos diferentes.

Foi isso o que aconteceu com o título “Jesus Misericordioso”, que se originou quando o Salvador se revelou a uma religiosa polonesa, a Santa Faustina Kowalska, no século passado.

Jesus Misericordioso
Jesus Misericordioso

Imagem de Jesus Misericordioso

De acordo com os relatos existentes, em 1930, Jesus apareceu à Santa Faustina, uma religiosa pertencente à Congregação das Irmãs de Nossa Senhora da Misericórdia. Nessa visão, que foi seguida por outras, o Messias teria dado várias instruções à freira, todas com o intuito de disseminar a Sua misericórdia pelo mundo.

Um dos pedidos realizados por Jesus foi o de que Ele fosse retratado em um quadro, o qual foi terminou de ser confeccionado em 1934, 04 anos após a primeira revelação à Faustina.

Essa imagem é caracterizada por possuir um complexo significado. Nela, Jesus tem os olhos voltados para baixo, a fim de representar o Seu olhar na cruz. Quanto à posição de Suas mãos, uma delas está elevada, em posição de benção, enquanto a outra toca o Seu peito esquerdo. Além disso, do coração de Cristo jorram dois raios, um de cor vermelha e outro e outro de cor branca; o primeiro simboliza o sangue, que é a vida dos espíritos, ao passo que segundo feixe representa a água, que regenera as almas.

Oração a Jesus Misericordioso

Sem dúvida, a aparição de Jesus reafirmou a Sua compaixão. Isso é claramente evidente em uma das declarações que o próprio Cristo fez, quando Ele disse que é misericordioso antes de juiz.

Assim, seguindo essa linha, as orações e o terço que se destinam a esse título de Jesus têm a finalidade de clamar pela Sua piedade, pelo Seu perdão e pelas Suas graças.

Saiba mais>

História de Jesus Misericordioso

Como apontado acima, o título “Jesus Misericordioso” foi relevado ao mundo quando Jesus apareceu à Maria Faustina Kowalska.

Mais conhecida como Santa Faustina, essa religiosa viveu durante o século XX, entre 1905 e 1938. Ela sempre esteve profundamente envolvida com o cristianismo, ingressando em um convento ainda jovem, aos 20 anos de idade.

As aparições do Salvador à Faustina começaram no ano de 1930, quando ela tinha 25 anos. Por meio dessas invocações, o Messias fez diversas exposições e pedidos à religiosa, todos com a finalidade de apresentá-lo ao mundo como o Rei da Misericórdia.

Dentre o que foi revelado à Santa, dois fatos merecem um destaque especial: o horário da morte de Cristo e o Terço da Misericórdia. Jesus contou que pereceu na cruz às três horas da tarde, horário em que Ele não negará a Sua bondade àqueles que meditarem sobre a Sua Paixão e a Sua Morte. Além disso, o Salvador apresentou o Terço da Misericórdia aos cristãos; segundo Ele, o fiel que rezar esse terço será contemplado com o perdão divino e com maravilhosas graças, desde que o mesmo possua fé e verdade no coração.

Divino Pai Eterno: Oração e Dia do Divino Pai Eterno

A denominação Divino Pai Eterno consiste em um dos títulos atribuídos a Deus. Esse nome aponta que o Criador nos enxerga como filhos, tratando-nos como tal.

Isso, porém, era desconhecido até a vinda do Salvador. Até então, considerava-se um atrevimento se referir a Deus como pai. Assim, foi Cristo quem revelou que o Criador é o Pai de todos.

Divino Pai Eterno
Divino Pai Eterno

História do Divino Pai Eterno

A alcunha “Divino Pai Eterno” passou a ser adorada em meados do século XIX, em 1840. Nesse ano, Ana Rosa de Oliveira e Constantino Xavier Maria encontraram uma imagem que deu origem ao culto.

Tudo começou quando o casal se mudou para o extinto município de Campinas – atual capital de Goiás, Goiânia. Em determinado dia, enquanto preparava a terra para o plantio, Constantino achou um medalhão de barro enterrado. O objeto trazia um desenho em sua extensão, que ilustrava o Criador coroando a Virgem Maria.

Esse achado foi visto pelo casal como um sinal divino. Então, eles começaram a se juntar com os seus familiares para adorar o artefato, passando a se referir ao mesmo como Medalhão do Divino Pai Eterno.

O que surpreendeu a todos foi que, pouco tempo após o início dos cultos, diversas graças começaram a ocorrer na vida desses fiéis. Isso começou a se espalhar de maneira extremamente rápida, atraindo dezenas de pessoas até a casa de Santa Ana e Constantino.

Como o culto ao medalhão cresceu velozmente, a população da região se organizou para erguer uma capela para o objeto. O templo, porém, logo ficou pequeno, já que o fluxo de peregrinos apenas aumentava, de modo que ainda foram construídas duas capelas maiores.

Significado e Simbolismo do Divino Pai Eterno

O nome “Divino Pai Eterno” possui um amplo e elaborado simbolismo, que possui o intuito de se referir às três verdades atribuídas ao Criador.

O termo “Divino” faz alusão ao aspecto sobrenatural e extraordinário de Deus, o que tem o objetivo de ressaltar a Sua perfeição. A expressão “Pai”, por sua vez, tem a finalidade de apontar que o Senhor é o nosso pai, ou seja, quem nos conhece e quem nos ama. A palavra “Eterno”, por fim, indica que Deus sempre existiu e sempre existirá.

Novena do Divino Pai Eterno

As novenas são celebrações realizadas em homenagem a certa figura. Elas possuem nove dias de duração e têm o propósito de agradecer ou de rogar a alguma entidade divina. Por isso, a realização desses cultos é um hábito muito frequente entre os fiéis.

Como o título “Divino Pai Eterno” se difundiu bastante, especialmente dentro do Brasil, as novenas em homenagem a ele são bem populares. Elas possuem os objetivos de clamar a realização de alguma causa e de rogar por auxílio na tentativa de seguir um caminho correto.

Oração de Cura do Divino Pai Eterno

No geral, as preces destinadas ao Divino Pai Eterno têm uma finalidade semelhante à das novenas, sendo utilizadas para o alcance de graças. Além disso, as orações também costumam clamar pelo perdão de Deus.

São Longuinho: História, Vida, Oração e Dia de São Longinho

São Longuinho

São Longuinho, que também é chamado de Longino, simboliza uma das principais figuras do catolicismo, sendo amplamente cultuado como o patrono dos esquecidos e como o santo dos objetos perdidos.

Acredita-se que ele tenha sido o guerreiro romano que reconheceu Jesus Cristo como o Salvador, após a morte do Messias.

São Longuinho
São Longuinho

História de São Longuinho – Quem foi?

Acredita-se que Longino foi um soldado romano. Ele teria sido um dos escolhidos para acompanhar Jesus pela Via Dolorosa – que foi o caminho que o Messias teve de percorrer até o Monte Calvário, onde foi crucificado.

Nessa época, era norma que os sentenciados perecessem até o pôr-do-sol. Assim, para confirmar que Jesus estava realmente morto, um dos guerreiros presentes, que teria sido Longuinho, o feriu com uma lança. Ao fazer isso, uma mistura de sangue e água começou a brotar da ferida, respingando nos olhos do soldado e sarando-o de uma doença que ele tinha nos olhos.

Então, quando Longuinho percebeu que havia sido curado, ele reconheceu Cristo como o Filho de Deus, convertendo-se ao Cristianismo e abandonando o exército romano.

Depois da deserdação, o guerreiro teria fugido para Capadócia, onde foi descoberto e entregue a Pilatos. O governador, então, teria condenado o soldado à morte, após não conseguir obrigá-lo a negar a sua fé, mesmo depois de longas torturas.

Oração de São Longuinho

Como pôde ser visto, São Longuinho usufruiu da compaixão de Cristo mesmo depois de ter contribuído para a sua crucificação. Assim, muitas das orações destinadas à figura servem para pedir o seu auxílio na tentativa de alcançar o perdão de Deus, além de servirem para pedir a sua intervenção no ato de trilhar um caminho honesto e digno.

Também, existem várias súplicas que servem para rogar pela ajuda do santo na tentativa de encontrar alguma coisa perdida. E, além dessas preces, há uma simpatia muito famosa com esse mesmo intuito, que é a de prometer três pulinhos a São Longuinho, caso ele ajude a pessoa localizar determinado objeto.

Milagres de São Longuinho

Como mencionado acima, São Longuinho é popular por auxiliar os seus devotos a encontrarem objetos perdidos. E, além de ser o autor dessas graças, o santo é tido como o responsável pelo seu próprio processo de canonização.

Conta a história que o Papa Silvestre II, em 999, tinha feito com que o procedimento necessário à santificação de Longuinho avançasse bastante. No entanto, faltavam alguns documentos, que tinham se perdido ao longo dos anos.

Então, o Papa teria rogado pela intercessão do santo, que, pouco tempo depois do pedido, o ajudou a encontrar esses papéis. Desse modo, a canonização pôde ser concluída.

São Longuinho na Umbanda

Na Umbanda, São Longuinho foi sincretizado com o Ogum Sete-Lanças, um dos falangeiros de Ogum.

De acordo com as lendas, esse mensageiro se caracteriza por vestir as cores vermelha e prata, por sempre carregar sete espadas e por se ligar à energia de Ogum. O Orixá costuma enviá-lo aos terreiros com a finalidade de proteger os seus filhos contra os males que possam atingi-los, tendo, portando, uma função semelhante a do Caboclo Sete-Flechas.

Nossa Senhora do Desterro: Oração, Novena, História e Dia

Nossa Senhora do Desterro

Nossa Senhora da Fuga, Nossa Senhora dos Desterrados ou Nossa Senhora do Desterro, como é popular, simboliza um dos títulos da Virgem Maria que são cultuados pela Igreja Católica.

A veneração a essa invocação mariana surgiu com o Evangelho de Mateus, que narra, em uma de suas passagens, a fuga de Maria, de José e do menino Jesus para o Egito. Aliás, é exatamente por conta disso que esse dogma é tido o protetor daqueles que saíram de sua terra em busca de trabalho ou de melhores condições de vida.

Nossa Senhora do Desterro
Nossa Senhora do Desterro

Dia de Nossa Senhora do Desterro

O dia de Nossa Senhora do Desterro que a Igreja Católica escolheu para as festas litúrgicas foi o 02 de abril, data que é mantida até hoje.

Oração de Nossa Senhora do Desterro

Como Nossa Senhora do Desterro é considerada a padroeira dos emigrantes, grande parte das preces em seu nome servem para rogar pela proteção e pelo conforto destes.

Ademais, também há várias orações que pedem pelo auxílio da Virgem na cura de doenças e na realização de causas impossíveis. Confira abaixo uma oração de Nossa Senhora do Desterro:

História de Nossa Senhora do Desterro

Como foi descrito acima, o culto a Nossa Senhora do Desterro começou devido à migração forçada que a Sagrada Família fez, saindo de Judeia em direção ao Egito.

Essa mudança foi necessária pois Herodes, o rei da época, havia determinado que todos os recém-nascidos do sexo masculino fossem assassinados, uma vez que o soberano temia o que poderia resultar do nascimento de Jesus.

Assim, em razão de Maria ter se exilado para proteger e salvar o seu filho, ela passou a ser vista como a defensora e a cuidadora dos indivíduos que tiveram que sair de sua cidade ou país, encarregando-se de resguardá-los dos males e das doenças do mundo.

Nossa Senhora do Desterro no Brasil

Nossa Senhora do Desterro é uma das invocações marianas que sempre foram cultuadas no Brasil, tendo sido introduzida no contexto do país ainda durante a colonização.

Isso porque, como nessa época havia muitos portugueses em terras brasileiras, os estrangeiros começaram a devotar intensamente esse dogma de Maria, clamando para que a Virgem os confortassem e os protegessem.

Com isso, o culto a essa aparição apenas cresceu no país, tanto que diversas igrejas foram erguidas em sua honra. Inclusive, um dos locais escolhidos para a construção de um desses templos foi Florianópolis, a capital de Santa Catarina, que passou a ter Nossa Senhora do Desterro como padroeira, desde que o Papa Pio X abençoou a catedral construída na cidade.

Representação da Santa

Na maior parte de suas representações, Nossa Senhora do Desterro é desenhada sobre um jumento, com o menino Jesus nos seus braços e com José ao seu lado, em pé.

Embora essa cena retrate a fuga dos três, a Virgem é sempre representada com uma fisionomia serena e segura, algo que transpassa e reitera a confiança que devemos ter para com os propósitos divinos, apesar de não conseguirmos entendê-los sempre.

Nossa Senhora do Carmo: Oração, História, Dia e Novena de Nossa Senhora do Carmo

Nossa Senhora do Carmo

Nossa Senhora do Monte Carmelo ou Nossa Senhora do Carmo representa uma das aparições marianas que a Igreja Católica venera, sendo tida como a padroeira das carmelitas.

Segundo os registros existentes, a veneração a esse dogma se iniciou no século XIII, com a Ordem Carmelita. A Virgem Maria, que sempre foi fortemente reverenciada por essa comunidade, teria aparecido a Simão Stock, Prior Geral da ordem, o que teria dado início ao culto a Nossa Senhora do Carmo.

Nossa Senhora do Carmo
Nossa Senhora do Carmo

Dia de Nossa Senhora do Carmo

Inicialmente, o dia de Nossa Senhora do Carmo elegido para as suas comemorações litúrgicas foi 17 de julho. No entanto, como nesse mesmo dia a Europa também festejava Aleixo de Roma, foi determinado que a invocação da Virgem fosse celebrada aos 16 de julho, costume que permanece até hoje.

Oração de Nossa Senhora do Carmo

As orações destinadas a Nossa Senhora do Carmo servem, em grande parte, para rogar pela proteção da Virgem em circunstâncias perigosas e angustiantes, além de também servir para pedir a sua ajuda no intento de seguir as doutrinas do cristianismo. Acompanhe uma oração de Nossa Senhora do Carmo abaixo:

História de Nossa Senhora do Carmo

Como descrito anteriormente, os Carmelitas foram os responsáveis pelo começo e pela disseminação do culto a Nossa Senhora do Carmo. Conta a tradição que isso se iniciou quando a Virgem Maria, no dia 16 de julho de 1254, surgiu a São Simão Stock.

Nesse dia, o carmelita, que era Prior Geral da ordem, rogava pela intercessão de Nossa Senhora. Enquanto suplicava pelo auxílio da santa, a mesma teria aparecido ao religioso, entregado um escapulário a ele e lhe dito que o artefato teria o poder de livrar todos os indivíduos que o usassem da danação eterna, desde que estes agissem, em vida, conforme os ensinamentos cristãos.

Após esse acontecimento, São Simão difundiu de maneira muito intensa a força do relicário que Nossa Senhora havia lhe confiado. Isso se disseminou rapidamente, tornando o Escapulário de Carmo um dos hábitos mais enaltecidos pelos católicos. Inclusive, vários papas, como o Pio XII e o João Paulo II, também louvaram o relicário, o que contribuiu ainda mais para a sua popularidade.

Milagres de Nossa Senhora do Carmo

De todos os feitos atribuídos a essa invocação mariana, o mais popular foi o que ocorreu no dia 16 de novembro de 1894, em Palmi, na Itália.

De acordo com os relatos que existem, os cristãos dessa região presenciaram, durante 17 dias consecutivos, alterações na estátua em honra a Nossa Senhora do Carmo, que teria movimentado os seus olhos e apresentado mudanças na cor de seu rosto.

Esses acontecimentos, que foram visíveis a quase todos os habitantes da comuna, impactou fortemente a população, que realizou, no dia 16, uma procissão para a Virgem.

Ao final do cortejo, a região de Palmi foi atingida por um terrível terremoto, o qual destruiu a maior parte das construções do distrito. No entanto, embora os tremores tenham sido devastadores, houve a morte de somente 09 pessoas, já que quase toda a população estava participando da procissão.

Esse episódio foi tão marcante e noticiado que a Igreja Católica o reconheceu como milagre ainda no ano seguinte, em 1895.