Santa Sara Kali: História, Vida, Oração e Dia de Santa Sara Kali

Santa Sara Kali

A tradição católica aponta Santa Sara Kali como a criada de uma das três Marias que seguiram com Jesus até Gólgota – lugar onde o Messias foi crucificado.

Por ter acompanhado o Salvador durante toda a Via Dolorosa, essa figura é tida como a padroeira dos desprotegidos, além de ser a protetora das mulheres que desejam engravidar, das mulheres grávidas e dos ciganos.

Santa Sara Kali
Santa Sara Kali

História de Santa Sara Kali – Biografia

Sabe-se que Sara foi uma cigana escravizada. Um dos pontos que atesta isso é o sobrenome que lhe foi atribuído – Kali, uma palavra de origem hebraica que significa “negra”.

De acordo com os relatos existentes, a santa enfrentou diversas provações e humilhações antes de se encontrar com as três Marias, que a ampararam. Inclusive, junto a elas e a Nossa Senhora, Sara teria seguido com Jesus até Gólgota.

Durantes os primeiros anos conseguintes à morte do Messias, os cristãos foram extremamente perseguidos pelos romanos. Essa repressão não tardou a alcançar os que eram mais próximos de Jesus; assim, em 48 d.C., Sara, junto à Maria Madalena, à Maria Salomé, à Maria Jacobina e à Lázaro, foi posta em um barco que não possuía velas nem remos, o qual foi solto no mar mediterrâneo.

Sem nenhuma saída visível, todos os que estavam na embarcação começaram a rogar por uma intervenção divina, especialmente Sara, que ainda prometeu levar uma vida casta e dedicada à evangelização, caso ela e os seus amigos conseguissem se salvar.

De maneira milagrosa, o barco, com todos ilesos, chegou a uma pequena cidade francesa – atualmente chamada de Saintes-Maries-de-La-Mer (Santas Marias do Mar), em homenagem às santas. Sara, então, cumpriu a sua promessa; além de dedicar o resto de sua vida a Jesus, ela passou a utilizar um lenço sobre a cabeça, um hábito comum entre as mulheres palestinas que queriam demonstrar a sua pureza.

Atualmente, os ossos da santa são mantidos como relíquias na Igreja de Saint Michel.

Dia de Santa Sara Kali

A canonização de Santa Sara Kali ocorreu apenas em 1712. Nessa época, a Igreja decidiu que a figura seria celebrada em 24 de maio, costume que permanece até hoje.

Embora a santa possua apenas um dia litúrgico, ela também costuma ser celebrada em 25 de maio, especialmente na França. Inclusive, é muito comum que os católicos franceses, sobretudo os que são ciganos, visitem Saintes-Maries-de-La-Mer nessas datas, época em que é realizada uma grande procissão em prol da santa.

Oração de Santa Sara Kali

Entre as diversas preces destinadas à Sara Kali, a maior parte delas tem o objetivo de clamar por intercessão em prol das grávidas e em prol das mulheres que não conseguem engravidar. Além disso, também existem muitas orações que servem para pedir prosperidade e riqueza à santa.

Santa Sara Kali na Umbanda

Na Umbanda, Santa Sara Kali é vista como a Princesa da Beleza Negra, sendo sincretizada com a Orixá Egunitá – que também é conhecida como Oro Iná.

  • Conheça ainda Exú.

A figura foi associada a essa divindade africana, que é tida como a aplicadora da Justiça Divina, pois ambas são vistas como exemplos de força e de liberdade.

Irmã Dulce: História, Vida, Oração e Dia de Irmã Dulce

Irmã Dulce

Maria Rita de Sousa Brito Lopes Pontes, conhecida mundialmente como Irmã Dulce, foi uma beata brasileira que viveu durante o século XX.

Tendo recebido grande renome pelas obras de caridade que desempenhou em prol dos pobres, essa religiosa é considerada uma das pessoas que mais colaborou com a história do Brasil. Inclusive, ela possui grandes chances de se tornar a primeira Santa Católica que nasceu no país.

Irmã Dulce
Irmã Dulce

Quem foi Irmã Dulce – História e Biografia

Maria Rita, filha de Augusto Lopes Pontes e de Dulce Maria de Souza Brito, nasceu em 26 de maio de 1914, na capital da Bahia, em Salvador.

Ainda na infância, a religiosa começou a demonstrar grande compaixão pelos pobres. Aos 13 anos, por exemplo, ela passou a abrigar moradores de rua e doentes; também, foi nessa época que a menina começou a desejar uma vida religiosa. No entanto, antes de seguir por esse caminho, Maria Rita acabou ingressando no ensino superior e se graduando professora.

Assim, foi apenas em 1933, depois de ter concluído o curso, que a beata ingressou em uma ordem. Ela se mudou para São Cristóvão, no Sergipe, onde adentrou na Congregação das Missionárias da Imaculada Conceição da Mãe de Deus. Pouco tempo depois disso, Maria Rita jurou os votos perpétuos, tomando o hábito de freira; desde então, ela passou a utilizar o nome Dulce, um tributo à sua mãe, que havia falecido anos antes.

Posteriormente, a religiosa retornou a Salvador, onde passou a lecionar em um dos colégios de sua congregação. Concomitantemente a essa função, ela continuou a acolher os necessitados, que era o trabalho que realmente a completava.

Assim, em 1935, Dulce começou a se dedicar mais a essa tarefa. Ela passou a assistir os moradores de Itapagipe, uma comunidade extremamente pobre. Nesse bairro, a beata, com a ajuda do Frei Hildebrando Kruthaup, fundou a União Operária São Francisco, a primeira das muitas organizações que os dois religiosos idealizaram e projetaram.

Em 1939, mesmo ano em que criou o Colégio Santo Antônio, Irmã Dulce fez algo que a marcaria pelo resto de sua vida; sem lugar para alojar os mendigos que havia recolhido das ruas, ela invadiu cinco residências desocupadas, todas estas localizadas na Ilha dos Ratos. Embora tenha sido rapidamente expulsa das casas, a beata continuou a procurar por outros locais, até que obteve, em 1949, o consentimento para ocupar o galinheiro do Convento de Santo Antônio, que deu origem ao Hospital Santo Antônio – um grande e qualificado centro de saúde.

As obras sociais da religiosa tiveram muita repercussão, até mesmo internacionalmente. As suas ações foram tamanhas que, em 1980, na primeira visita do Papa João Paulo II ao Brasil, Dulce foi convidada pelo pontífice para receber a benção de suas mãos. Também, a beata foi indicada ao Prêmio Nobel da Paz de 1988, além ter se encontrado novamente com João Paulo II, quando ele a visitou no seu leito de morte, no ano de 1991.

Dulce faleceu no dia 13 de março de 1992, com 77 anos. Ela foi beatificada alguns anos depois, em 2011, pelo Papa Bento XVI.

Frases de Irmã Dulce

Irmã Dulce também se tornou conhecida pelas suas frases, as quais sempre apresentaram grande apelo espiritual e emocional.

Dentre as expressões da beata, as mais célebres são:

  • “O amor supera todos os obstáculos, todos os sacrifícios. Por mais que fizermos, tudo é pouco diante do que Deus faz por nós”;
  • “Sempre que puder, fale de amor e com amor para alguém. Faz bem aos ouvidos de quem ouve e à alma de quem fala”;
  • “Miséria é a falta de amor entre os homens”.

Obras Sociais Irmã Dulce

A OSID, mais conhecido como Obras Sociais Irmã Dulce, consiste em uma organização particular de cunho filantrópico. Ela foi projetada pela beata e persiste até hoje, sendo formado por 17 filiais.

Esses núcleos tem grande importância no cenário baiano, uma vez que eles disponibilizam vários serviços à população carente, atendendo diferentes faixas etárias e atuando em diversas áreas – como saúde e educação.

Oração à Irmã Dulce

Desde que foi beatificada, a adoração à Irmã Dulce cresceu bastante entre os cristãos católicos, de modo que as orações destinadas a ela se popularizaram com grande rapidez. Em geral, essas preces possuem o intuito de clamar por auxílio na concretização de graças e de causas impossíveis.

Frei Galvão: História, Vida, Oração e Dia de Frei Falvão

Frei Galvão

Santo Antônio de Sant’Anna Galvão, mais conhecido como Frei Galvão, foi um frade que nasceu no Brasil e que viveu entre os séculos XVIII e XIX.

O religioso foi o primeiro brasileiro a ser canonizado pela Igreja Católica, o que aconteceu há alguns anos, em 2007. Além disso, ele é tido como o protetor dos arquitetos, dos construtores e dos engenheiros, por quem costuma intervir bastante.

Frei Galvão
Frei Galvão

História de Frei Galvão

Frei Galvão, filho de Antônio Galvão de França e de Isabel Leite de Barros, nasceu no ano de 1739, no Vale do Paraíba, em São Paulo. Oriundo de uma família abastada e devota, o frade teve uma próspera infância.

Ele viveu com os seus pais até os 13 anos, quando foi enviado para o Seminário Jesuíta Colégio de Belém, localizado no município de Cachoeira – Bahia. Galvão estudou nessa escola de 1752 a 1756, época em que pôde se aprofundar nos dogmas cristãos, em ciências humanas e em construção civil.

Depois disso, o santo acabou por ingressar no Convento de Macacu, situado em Itaboraí – Rio de Janeiro. Lá, ele estudou para se tornar um franciscano, embora o seu desejo inicial fosse ser ordenado como um jesuíta; isso não foi possível devido às perseguições, por parte do Marquês de Pombal, à ordem.

Em 1762, o religioso tomou o hábito de frade, sendo transferido para o Convento de São Francisco, em São Paulo. Por ter demonstrado grande eficiência, após 04 anos trabalhando no lugar, em 1768, Galvão foi designado para altos cargos, como o de confessor e do pregador, tornando-se bastante conhecido.

Algum tempo depois disso, o frade também foi incumbido de ser confessor no Recolhimento de Santa Teresa. Foi lá onde ele conheceu a Irmã Helena Maria do Espírito Santo, uma religiosa que afirmava ter tido revelações de Jesus Cristo, onde Ele pedia a construção de outro Recolhimento.

O santo, acreditando na palavra da freira, tomou para si a tarefa de construir o retiro, que foi finalizado em 1774 e que foi chamado de Recolhimento Nossa Senhora da Luz. A princípio, apenas a Irmã Helena e outras duas jovens foram morar no convento; contudo, com o decorrer dos meses, mais religiosas começaram a ingressar na instituição, especialmente quando Galvão assumiu a direção do retiro.

Como o número de habitantes do Recolhimento aumentava de modo contínuo, o frade começou a construção do Mosteiro da Luz. Embora tenham surgido várias dificuldades, tanto econômicas quanto burocráticas, para a concretização dessa obra, Galvão, junto às irmãs e à própria população, conseguiu finalizá-la, 28 anos após o seu início.

Em 1822, alguns anos após a finalização dessa obra – que foi o seu principal legado, o frei veio a falecer. Nesse ínterim, ele ainda conseguiu realizar diversas obras sociais, sempre dando o melhor de si para o povo.

Dia de Frei Galvão

A Igreja Católica escolheu o dia 25 de outubro para a realização das comemorações litúrgicas de São Frei Galvão. O costume permanece até hoje, especialmente no Brasil, onde são realizadas grandes festas para o santo.

Oração de Frei Galvão

Existem várias orações destinadas a São Frei Galvão. A maioria delas tem o objetivo de pedir a intercessão do santo na concretização de desejos, já que ele é conhecido por conceder vários milagres para os seus devotos, especialmente quando pedidos são relacionados à cura de alguma enfermidade.

Pílulas de Frei Galvão

Em certa viagem, enquanto se preparava para retornar ao convento onde residia, Galvão foi interceptado por alguns homens, que imploraram para que ele fosse visitar um amigo deles, que estava bastante adoentado.

Como não podia adiar os seus compromissos, o religioso teve uma ideia. Em um pequeno pedaço de papel, ele escreveu uma súplica a Nossa Senhora, a qual dizia: “Depois do parto, ó Virgem, permaneceste intacta: Mãe de Deus, intercedei por nós”. Então, ele enrolou a folha e a entregou aos homens, dizendo que eles deveriam fazer com que o doente a engolisse, enquanto rezasse um terço para Nossa Senhora.

Pouco tempo depois disso, espalhou-se o relato de que o homem havia se curado. Isso fez com que várias pessoas fossem atrás dos papeizinhos do frade, os quais proporcionaram muitas outras curas, de modo que passaram a ser conhecidos como as pílulas de Frei Galvão.

Madre Paulina: História, Vida, Oração e Dia de Madre Paulina

Amábile Lúcia Visintainer, que se tornou popular como Madre Paulina, foi uma católica italiana. Ela viveu entre os séculos XIX e XX e morou grande parte de sua vida no Brasil.

A religiosa é bastante cultuada em nosso país, o que se deve ao fato de ela ter sido a primeira brasileira naturalizada a se tornar santa. A sua canonização ocorreu em maio de 2002, a decreto do Papa João Paulo II.

Madre Paulina
Madre Paulina

História de Madre Paulina – Quem Foi?

Amábile, filha de Anna Pianezzer e Napoleone Visintainer, nasceu no ano de 1865, na comuna italiana de Vigolo Vattaro. Procedente de uma família bastante religiosa, a santa teve uma educação baseada nos preceitos cristãos, o que foi determinante para o caminho que ela trilharia.

Com a crise social e econômica que assolou a Itália durante o final do século XIX, a família de Amábile se viu obrigada a buscar refúgio em outro país. Assim, em 1875, eles emigraram para o Brasil, estabelecendo-se no atual munícipio de Nova Trento, em Santa Catarina.

A princípio, o vilarejo para onde os Visintainer se mudaram era bastante pequeno e desprovido; com o decorrer dos anos, porém, ele começou a crescer. Então, o padre da região decidiu desenvolver algumas atividades pastorais na vila; Amábile, que sempre demonstrou grande espiritualidade, foi designada para ser a responsável por algumas.

Todo esse processo contribuiu bastante para despertar na menina o desejo de seguir uma vida religiosa. Dessa forma, em 1895, ela professava os votos perpétuos, passando a ser conhecida como Irmã Paulina.

Algum tempo após ter tomado hábito de freira, Amábile deu início à Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição. Tudo começou com a iniciativa de construir um pequeno hospital, voltado para o atendimento dos doentes e para a educação das crianças da comunidade.

Em 1903, com a prosperidade de suas obras, Amábile foi convidada para expandir o seu trabalho por São Paulo. Então, ela, junto a outras irmãs, mudou-se para o bairro Ipiranga; lá, as religiosas começaram a se dedicar a órfãos e a ex-escravos.

Após alguns anos de prosperidade e de trabalho, um acontecimento colocou à prova as virtudes da irmã; ela passou a ser perseguida por uma mulher afortunada, que contribuía financeiramente para com a congregação. A repercussão dessa situação foi tamanha que o bispo Dom Duarte exilou Amábile, que passou a ter uma vida mais reclusa.

Uma década depois, a religiosa foi chamada, pelo mesmo bispo que a havia exilado, para retornar a São Paulo. A irmã pôde, assim, dar continuidade ao seu trabalho de maneira mais direta, ao que se dedicou até o fim de sua vida; ela faleceu em 1942, depois de anos doente.

Milagres de Madre Paulina

Além de ter se popularizado pelas suas obras, Madre Paulina se tornou bastante conhecida pelos milagres que realizou. Destes, há dois que são bastante célebres e que foram os responsáveis, inclusive, pela canonização da freira.

O primeiro ocorreu no Espírito Santo, na década de 60. Eloísa Rosa de Souza, que estava grávida de sete meses, sofreu um aborto e entrou em choque. Embora os médicos afirmassem que o seu quadro não poderia ter progressos, a mulher melhorou milagrosamente quando uma das freiras do hospital colocou sobre o seu peito um pedaço de tecido que havia pertencido à Madre Paulina.

Já o segundo acontecimento ocorreu no Acre, na década de 90. Iza Bruna Vieira de Souza, uma menina de cinco dias de vida, foi submetida a uma cirurgia; depois de realizado o procedimento, ela começou a ter uma série de complicações, todas de grande risco. A garota, porém, melhorou subitamente quando a sua avô resolveu pôr uma imagem da santa em sua mão.

Oração a Madre Paulina

As orações atribuídas a Madre Paulina, em sua maior parte, têm a intenção de rogar pela realização de desejos difíceis. Além disso, as preces costumam clamar pedir coragem à santa, já que ela era bastante conhecida pela sua fé inabalável.

São Benedito: História, Vida, Oração e Dia de São Benedito

São Benedito

São Benedito, que também é intitulado como Benedito de Palermo, foi um religioso católico que nasceu em meados do século XVI, no ano de 1524.

Tendo sido beatificado e canonizado pela Igreja Católica, o santo se tornou prestigiado pelos feitos milagrosos que realizava. Além disso, ele também se popularizou por ser o protetor dos africanos, dos cozinheiros e dos negros, por quem costuma interceder constantemente.

São Benedito
São Benedito

Biografia e História de São Benedito

Os relatos sobre o início da vida de São Benedito são um tanto contraditórios. Certas versões afirmam que ele nasceu na Sicília – Itália, enquanto outras dizem que ele era oriundo da África e que foi trazido à Europa na condição de escravo. De todo modo, sabe-se que o religioso recebeu uma educação cristã desde a infância.

Quando tinha 18 anos, o santo já havia decidido que dedicaria a sua vida à religiosidade.  Assim, ao ser convidado pelo Frei Jerônimo Lança, então líder dos franciscanos, para fazer parte da congregação, ele aceitou de prontidão.

Após fazer os seus votos de castidade, de obediência e de pobreza, Benedito foi integrado à ordem. Como era analfabeto, ele foi designado, a princípio, à função de cozinheiro e a outras tarefas secundárias.

No entanto, a sua sabedoria e o seu carisma inatos fizeram com que o monge ganhasse o apreço e o respeito de todos. Desse modo, não foi uma surpresa quando ele foi indicado, em 1578, para ser o superior do mosteiro, cargo que desempenhou com destreza e equidade.

Em 04 de abril de 1589, aos 65 anos, Benedito faleceu. Por uma ordem sua, ele não foi velado, tendo sido enterrado com urgência. Isso se sucedeu assim, pois, pouco tempo antes de sua morte, o santo havia previsto que a população viria atrás de seu corpo, o que, de fato, aconteceu; conta a lenda que, logo após o falecimento do religioso, os fiéis invadiram o mosteiro onde ele morava, a fim de vê-lo e para tentar obter relíquias que remetessem a ele.

Quase 150 anos após a sua morte, em 1734, o santo foi beatificado pelo Papa Bento XIV. E, em 1807, ele foi canonizado, quando o Papa Pio VII atestou a sua santidade.

Dia de São Benedito

Por recomendação da CNBB – Conferência Nacional de Bispos do Brasil, o país realiza as comemorações de São Benedito no dia 05 de outubro. Nos demais lugares do mundo, por outro lado, o santo é festejado em 04 de abril, data que marca o dia de sua morte.

Conheça ainda:

Oração de São Benedito

Como apontado acima, São Benedito se tornou popular pela grande quantidade de milagres que realizou. Dessa maneira, as preces que são destinadas a ele, em sua maior parte, possuem o objetivo de rogar por ajuda na realização de causas difíceis ou até mesmo impossíveis.

Além disso, é comum que essas orações clamem por proteção, por amparo e por iluminação, a fim de que seja possível trilhar um caminho honrado, que siga os princípios cristãos e que seja digno da compaixão de Deus.

São Bartolomeu: História, Vida, Oração e Dia de São Bartolomeu

Dia de São Bartolomeu

São Bartolomeu, que também é conhecido como São Natanael, foi um dos homens escolhidos como discípulo por Jesus Cristo.

Além de ser tido como o protetor dos mercadores florentinos, esse apóstolo é considerado o padroeiro dos alfaiates, dos padeiros e dos sapateiros, sendo cultuado tanto pela Igreja Católica quando pela Igreja Ortodoxa.

São Bartolomeu
São Bartolomeu

Biografia e História de São Bartolomeu

Os relatos existentes a respeito de São Bartolomeu são bastante escassos, limitando-se a alguns fragmentos dos textos sagrados. O que se sabe sobre a sua jornada foi obtido graças à associação feita entre ele e o apóstolo Natanael, que é mais citado nas escrituras bíblicas; a partir de diversas comparações entre os evangelhos, a Igreja constatou que os dois nomes referem-se à mesma pessoa.

Uma das únicas informações que se tem acerca da vida mundana de Bartolomeu é a de que ele veio de Caná, povoado onde Jesus realizou o seu primeiro milagre. Todas as demais histórias sobre o discípulo referem-se ao que aconteceu depois que ele se encontrou com o Messias pela primeira vez, um momento que transformou a sua vida, marcando-a profundamente.

Segundo as passagens bíblicas, ao conhecer Bartolomeu, Jesus lhe disse que ele era um verdadeiro israelita, um homem livre de dissimulações. O apóstolo, desconcertado com a afirmação, questionou o Salvador, que lhe respondeu com a seguinte citação: “Antes que Filipe te chamasse, eu te vi quando estavas sob a figueira”.

Essa menção não é clara para a Igreja, no entanto, acredita-se que o trecho se refira a algum episódio importante da vida de Bartolomeu, já que, após isso, o homem reconheceu Jesus como o filho de Deus, largando tudo para acompanhá-lo. Assim, o apóstolo seguiu o Salvador durante toda a sua jornada em Israel.

Após a crucificação e a ressureição de Jesus, Bartolomeu teria se empenhando na sua missão de evangelizador. Não se sabe ao certo para onde ele seguiu, havendo duas teorias para isso. A primeira afirma que o apóstolo dirigiu-se para a Índia, onde teria pregado sobre a palavra de Deus; a segunda hipótese, por sua vez, defende que o santo foi apostolar na Europa Oriental.

São Bartolomeu
São Bartolomeu segurando a própria pele ao lado de São Lourenço, “Juízo Final”, Miquelangelo, 1535-1541

Também não se tem relatos concretos quanto à Morte de Bartolomeu. Contudo, acredita-se que ele morreu como mártir, em 51 d.C., na cidade de Albanopolis – local que hoje pertence ao Daguestão, divisão federal da Rússia.

Ele teria sido esfolado, a mando do governador da região, que não aceitou a sua evangelização. Porém, não morreu mesmo após removida a sua pele, por isso foi decapitado.

Dia de São Bartolomeu

Para as comemorações litúrgicas em nome de São Bartolomeu, a Igreja escolheu o dia 24 de agosto, a data que marca o aniversário de morte do apóstolo.

Um fato interessante é que nesse mesmo dia, no ano de 1572, em Paris, ocorreu o Massacre da Noite de São Bartolomeu. Esse episódio ficou conhecido como a maior repressão já feita contra o protestantismo, a qual ocasionou a morte de incontáveis pessoas.

Conheça também:

Oração de São Bartolomeu

São muitas as orações que existem em homenagem a São Bartolomeu. A maioria tem o intuito de clamar pela intercessão do santo na obtenção de prosperidade e na realização de difíceis graças.

São Jerônimo: História, Oração, Biografia e Dia de São Jerônimo

São Jerônimo de Caravaggio

São Jerônimo, também conhecido como Jerônimo de Estridão, foi um renomado sacerdote cristão. Ele se popularizou por ter sido o primeiro religioso a traduzir a Bíblia para o latim, tornando os textos sagrados acessíveis à população.

Além de ser considerado o padroeiro dos tradutores e dos secretários, o santo, que também foi teólogo e historiador, é tido como doutor pela Igreja, sendo, portanto, muito cultuado e prezado pelos católicos.

São Jerônimo de Caravaggio
“São Jerônimo”, Caravaggio, 1606

História de São Jerônimo

São Jerônimo, batizado como Eusébio Sofrônio Jerônimo, nasceu no ano de 347, na extinta cidade de Estridão.

Procedente de uma família devota e rica, o sacerdote recebeu uma excelente educação, tanto no âmbito religioso quanto no viés intelectual, o que impulsionou fortemente o seu interesse pelo conhecimento. Assim, quando os seus pais faleceram, ele decidiu morar em Roma, para se dedicar aos estudos.

Embora fosse cristão, Jerônimo não recebeu o batismo enquanto criança. Então, aos 25 anos, ele decidiu que passaria pelo rito, o que foi decisivo para a sua vida. O sacramento fez surgir no jovem um grande desejo pela vida religiosa, de modo que ele escolheu se mudar para o Estado de Gália, a fim de viver em uma comunidade de monges.

Depois de passar um período nessa congregação, Jerônimo decidiu que carecia de um exílio mais rigoroso. Então, ele se isolou no deserto, onde passou por um severo e extenso fortalecimento.

Exílio de São Jerônimo Cenas da Vida de São Jerônimo Sano di Petro 1444
São Jerônimo durante seu isolamento, “Cenas da Vida de São Jerônimo”, Sano di Petro, 1444

De lá, o sacerdote seguiu para Constantinopla, capital do Império Romano. Na cidade, ele se encontrou com São Gregório, que o influenciou a estudar os textos bíblicos. Jerônimo, então, passou a se dedicar de modo árduo a isso, tornando-se rapidamente popular pelo conhecimento que possuía nessa área.

A fama do religioso se espalhou de tal modo que Dâmaso I, então chefe da Igreja Católica, chamou-o para traduzir a Bíblia. Embora essa atividade tenha exigido anos de dedicação do sacerdote, ele conseguiu transpassar os escritos para o latim de maneira extremamente fiel.

Após ter concluído esse trabalhou, Jerônimo decidiu se mudar para Belém, indo morar em um dos mosteiros construídos por Santa Paula. Lá, ele continuou a se ocupar com a teologia e com os textos sagrados.

Em 416, o sacerdote teve que se refugiar de partidários que estavam ameaçando-o. Então, ele se exilou em um reduto próximo à Cidade Santa, onde permaneceu até o ano de 420, quando veio a falecer.

São Jerónimo e o Leão, Fra Filippo Lippi
“São Jerónimo e o Leão”, Fra Filippo Lippi, 1406

Durante seus últimos anos, se passou uma das histórias mais famosas de São Jerônimo. Enquanto vivia em um mosteiro na terra santa, São Jerônimo foi visitado por um leão com a pata machucada. Sua pata estava perfurada por um espinho.

São Jerônimo recebeu o leão em seu mosteiro, removeu o espinho de sua pata e tratou a fera como se fosse um animal doméstico. Em pouco tempo, a pata ferida curou, e o leão passou a proteger o monastério.

Dia de São Jerônimo

Para a realização das comemorações de São Jerônimo, a Igreja Católica escolheu o dia 30 de setembro, que marca o aniversário de morte do santo. A Igreja Ortodoxa, por outro lado, celebra o monge em outra data, no dia 15 de junho.

Conheça também outros santos:

Oração a São Jerônimo

Como explicitado anteriormente, São Jerônimo dedicou a sua vida aos estudos bíblicos. Dessa forma, as preces em seu nome costumam ter o intuito de clamar por ajuda para com o propósito de aceitar as ideias e normas que são transmitidas por meio dos textos sagrados.

Além disso, algumas súplicas se caracterizam por pedir o auxílio do santo na realização de desejos difíceis.

Santa Genoveva: História, Vida, Oração a Santa Genoveva

Santa Genoveva

Santa Genoveva, que também é chamada de Geneviève e Genovefa, foi uma beata francesa que viveu entre os séculos V e VI.

Sendo celebrada tanto pelos católicos quanto pelos ortodoxos, essa religiosa se popularizou pela sua devoção a Cristo e pelos seus diversos feitos, muitos dos quais foram tidos como milagrosos. Aliás, por causa de um desses eventos, que ocorreu quando a santa protegeu Paris de invasores, ela é considerada a padroeira da capital francesa.

Santa Genoveva
Santa Genoveva

Oração de Santa Genoveva

Além de ser padroeira de Paris, Genoveva é tida como a protetora contra as guerras e contra as epidemias. Desse modo, as preces em homenagem a ela, em sua maioria, servem para rogar pela sua proteção contra esses males.

Também, é comum que essas súplicas peçam a ajuda da santa nas batalhas que temos que travar contra as dificuldades que nos acometem, além de servirem para clamar por auxílio no intento de trilhar uma jornada que siga os preceitos cristãos.

Biografia e História de Santa Genoveva

Genoveva, filha de Geroncia e Severus, nasceu no ano de 422, em Nanterre – comuna francesa próxima a Paris.

Oriunda de uma família bastante religiosa, Genoveva foi introduzida ao cristianismo ainda enquanto jovem. Assim, não é de se espantar que a menina sempre tenha demonstrado bastante devoção para com os dogmas cristãos.

Aos 10 anos de idade, um acontecimento marcou imensamente a vida da santa: enquanto ela e a sua família assistiam à passagem do bispo Dom Germano por Nanterre, ele voltou a sua atenção para Genoveva.

Movido por um impulso divino, o santo presenteou a menina com uma cruz, além de ter lhe dito que a sua missão na Terra era grandiosa e que, para cumpri-la, ela deveria seguir longe das tentações mundanas.

Depois desse episódio, Genoveva tornou-se resoluta quanto ao caminho que seguiria. Então, aos 15 anos, ela resolveu fazer voto de castidade, prometendo a sua vida a Deus.

Quando a religiosa atingiu os 20 anos de idade, os seus pais faleceram. Então, ela resolveu se mudar para Paris, passando a morar com uma de suas madrinhas. Na capital francesa, ela começou a se popularizar, tornando-se conhecida pela sua dedicação para com Cristo e para com os pobres.

Em 451, surgiu o boato de que o Império Huno arquitetava uma invasão à Paris. Com esse rumor, os parisienses entraram em pânico e quiseram fugir da cidade. Genoveva, porém, convenceu todos a ficarem e a rogarem pela piedade de Deus. Então, o inesperado aconteceu: Átila, o rei Huno, desistiu de invadir a cidade. A partir desse momento, a santa começou a ser conhecida como a protetora da capital francesa.

Depois de uma vida longa e totalmente dedicada aos necessitados e à santidade, Genoveva faleceu, aos 89 anos, no ano de 502. A santa foi sepultada na igreja que ela mesma ajudou a construir, a Abadia de Sainte-Geneviève.

Dia de Santa Genoveva

Tanto a Igreja Católica quando a Igreja Ortodoxa realiza as festas litúrgicas de Santa Genoveva no dia 03 de janeiro. A escolha por essa data se deve ao fato de ela representar o aniversário de morte da religiosa.

Conheça também:

Santa Marta: História, Vida, Oração e Dia de Santa Marta

Santa Marta

Santa Marta representa uma importante personagem das histórias bíblicas, tendo sido apontada diversas vezes nos evangelhos.

De acordo os mesmos, ela era irmã de Lázaro e de Maria, dois dos amigos mais próximos de Jesus. Além disso, os textos contam que Marta foi uma das mulheres que presenciou a ressurreição de Cristo e que o acompanhou até Gólgota.

Santa Marta
Santa Marta

Conheça também:

Atributos de Santa Marta

Santa Marta é tida como a padroeira dos cozinheiros, dos faxineiros, dos hoteleiros e dos lavadeiros.

Ela se tornou a protetora dessas pessoas, pois demonstra, nas passagens bíblicas, extrema preocupação com o conforto e a alimentação de Jesus e de seus discípulos, nas vezes em que os recebeu em sua casa.

Oração de Santa Marta

Como indicado anteriormente, Marta era extremamente acolhedora, sempre se esforçando para oferecer o melhor a Jesus e aos seus discípulos, quando eles a visitavam.

Assim, em razão de ter amparado aqueles que precisavam, as orações em seu nome costumam possuir o intento de rogar por acolhimento e por proteção.

História de Santa Marta – Biografia

De acordo com os escritos bíblicos, Marta e seus irmãos moravam em Betânia, aldeia que se situava nas proximidades de Jerusalém.  Ela viveu na mesma época em que Jesus, tendo o conhecido, além de ter construído uma relação de amizade com Ele.

O ensinamento de Jesus:

Os evangelhos contam que, quando Jesus e seus apóstolos viajavam até o vilarejo de Betânia, eles se hospedavam na casa de Marta. Aliás, a morada dela fez-se cenário de um dos acontecimentos mais intensos e simbólicos da Bíblia: quando Maria sentou-se aos pés do Messias para escutar o que Ele tinha a dizer.

Nessa cena, é transpassado um dos principais ensinamentos de Cristo. Marta, ao ver que sua irmã estava sentada na sala, enquanto ela se ocupava com todos os trabalhos domésticos, questionou Jesus, perguntando se aquilo era justo.

O Messias, então, a repreendeu, dizendo-lhe que ela se inquietava com muitas coisas, quando era preciso ter preocupação com apenas uma: escutá-lo.

A ressureição de Lázaro

Outro acontecimento importante e que envolve Marta ocorreu quando Jesus ressuscitou o seu irmão.

Santa Marta em Ressurreição de Lázaro Van Gogh 1890
Santa Marta em “Ressurreição de Lázaro”, Van Gogh, 1890

Por ter contraído lepra, Lázaro adoeceu e acabou por falecer. Marta, então, ordena que chamem o Messias, para que Ele salve o seu irmão.

A princípio, o que dá a entender é que Jesus não atenderá ao pedido. Porém, 04 dias após o sepultamento de Lázaro, Ele vai ao sepulcro do morto e o ressuscita.

Esse episódio demonstra toda a fé que Marta tinha no Salvador. Afinal, mesmo após Ele demorar dias para atender seu chamado, não perde a confiança de que Cristo a ouvirá e a atenderá. O que, de fato, acontece.

Dia de Santa Marta

O culto à Marta começou em meados do século XVIII, quando a Ordem dos Franciscanos, criada por Francisco de Assis, passou a venerá-la.

A primeira adoração ocorreu no dia 29 de julho de 1262. Como os fiéis aderiram a essa data de modo muito rápido, a Igreja optou por mantê-la, a oficializando como o dia litúrgico da santa.

São Geraldo: História, Vida, Oração e Dia de São Geraldo

São Geraldo

São Geraldo Magela foi um religioso italiano que viveu durante o século XVIII e que acabou se popularizando pelos seus feitos, sendo largamente venerado pela Igreja Católica.

Por ter sido erroneamente acusado de engravidar uma jovem, esse santo é tido como o padroeiro da gravidez. Além disso, ele também é considerado o patrono dos alfaiates e das pessoas que são falsamente incriminadas.

São Geraldo
São Geraldo

História de São Geraldo – Quem Foi?

Geraldo Magela nasceu no dia 06 de abril de 1726, em Muro Lucano – cidade situada ao sul da Itália. Vindo de família modesta, ele começou a trabalhar ainda jovem, aos 14 anos, quando o seu pai, que era o provedor da casa, faleceu.

Tendo aprendido a profissão do mesmo, que era alfaiate, Geraldo começou a trabalhar em uma oficina, onde continuou por 04 anos. Depois desse período, o jovem foi trabalhar para o bispo de Lacedônia, onde permaneceu até a morte do sacerdote.

Após isso, Geraldo tentou ingressar na Congregação dos Capuchinhos. No entanto, ele foi recusado, em razão de sua saúde, que era bastante debilitada. A Ordem do Santíssimo Redentor, por outro lado, o aceitou e o santo permaneceu associado à mesma até o fim de sua vida.

Em 1754, o religioso acabou sendo alvo de uma séria acusação, que se deu quando uma mulher, Néria Caggiano, o apontou como o pai do filho que ela esperava. No momento em que esse escândalo veio à tona, Geraldo se isolou, rogando fortemente por ajuda divina, para que a jovem que o acusava se arrependesse e dissesse a verdade, o que realmente aconteceu.

Esse acontecimento é importante por ter marcado muito a vida do santo, tanto que ele ficou conhecido, devido a isso, como o padroeiro das mulheres grávidas e daqueles que são acusados equivocadamente.

Um ano depois desse episódio, no dia 16 de outubro, aos 29 anos, o religioso veio a perecer, devido a um sério caso de tuberculose. soa beatificação foi concluída pelo papa Leão XII em 29 de janeiro de 1893. Mais de um século depois de sua morte, em 1904, ele foi canonizado, pelo Papa Pio X.

Conheça também:

Dia de São Geraldo Magela

Segundo a tradição da igreja católica, o dia de São Geraldo Magela é celebrado em 16 de outubro. O Santo é considerado o padroeiro das grávidas, e protetor das pessoas que são falsamente acusadas de algo.

Oração de São Geraldo

Como mencionado acima, São Geraldo é tido como o protetor das grávidas e da gravidez. Assim sendo, muitas das orações e das novenas destinadas a ele têm o intuito de pedir a sua intercessão durante a gestação.

Também, devido à fama de milagreiro que esse santo adquiriu ao longo de sua vida, há várias súplicas que pedem o seu auxílio na concretização de objetivos difíceis de serem realizados.

Milagres de São Geraldo

São Geraldo era conhecido por ter vários dons divinos. Conta a lenda que o religioso possuía o poder de estar em dois lugares simultaneamente, além conseguir prever futuros acontecimentos.

Também, o santo se popularizou pelos milagres que realizou, havendo dois, em específico, que são bastante famosos. O primeiro ocorreu quando Geraldo ressuscitou um garoto que havia caído de uma rocha.

Já o segundo feito teria acontecido quando o santo, para levar uma embarcação cheia de pescadores à orla, andou sobre as águas, carregando o barco por entre as ondas fortes que uma tempestade causava.