Nossa Senhora das Dores

Nossa Senhora das Angústias, Nossa Senhora da Piedade e Nossa Senhora das Dores são algumas das alcunhas facultadas a uma dos títulos de Maria de Nazaré, o qual simboliza as Sete Dores que a Virgem sofreu por ser a mãe do Salvador.

Normalmente representada com um semblante triste e com espadas a atravessar o seu coração, essa invocação de Nossa Senhora explicita a sua contribuição com a Redenção de Cristo, além de evidenciar a necessidade de que os cristãos unam as suas angústias às de Jesus, para que assim possam se aproximar mais Dele.

Nossa Senhora das Dores
Nossa Senhora das Dores

Dia de Nossa Senhora das Dores

O dia de Nossa Senhora das Dores escolhido para comemorações foi o 15 de setembro, mesma data que marca o início do culto a esse título pela Ordem dos Servos de Maria.

Oração de Nossa Senhora das Dores

Das numerosíssimas preces destinadas à Nossa Senhora das Dores, a maioria tem o intento de pedir à Santa força e coragem na superação dos sofrimentos que nos afligem. Leia a oração de Nossa Senhora das Dores abaixo:

História de Nossa Senhora das Dores

De acordo com a cronologia da Igreja Católica, Nossa Senhora das Dores passou a ser reverenciada em 1221, de início apenas pelos religiosos do Mosteiro de Schönau, na Germânia. Porém, o culto não tardou em se popularizar, especialmente após a sua adoção pela Ordem dos Servitas, em 1239.

Todavia, embora a veneração às Dores de Maria date dessa época, ela somente foi oficializada pela Igreja Católica em 1724, quando o Papa Bento XIII fez uso do Evangelho, que possui trechos que descrevem claramente as angústias que a Santa sofreu, para justificar a sua inclusão ao Calendário Litúrgico.

Como rezar o Terço de Nossa Senhora das Dores

  • O que é o Terço das Sete Dores?

Há numerosíssimas maneiras de se rezar um terço, no entanto, o de Nossa Senhora das Dores, que é popularmente conhecido como “Terço das Sete Dores”, possui uma forma específica, a qual teria sido explicitada pela própria Virgem; isto teria ocorrido em 1981, em uma das invocações de Maria – que mais tarde se consagrou como Nossa Senhora de Kibeho.

  • Características do Terço das Sete Dores:

Para o Terço das Sete Dores, não é preciso possuir um terço específico, como muitos acreditam; basta ter o mesmo acessório utilizado em rosários e em preces mais simples. Ademais, as orações e as meditações características do Terço podem ser um exercício solitário em vez de grupal, já que o importante é apenas cumprir o objetivo do rito, o qual é refletir sobre cada uma das agonias da Virgem Maria.

Veja, logo abaixo, em volta de quais acontecimentos giram essas aflições e em quais passagens bíblicas os mesmos podem ser encontrados.

  1. Do prenúncio de Simeão (Lucas, 02, 34-35);
  2. Da evasão de Jesus, José e Maria para o Egito (Mateus, 02, 13-14);
  3. De quando Maria perdeu Jesus em Jerusalém (Lucas, 02, 41-46);
  4. De quando Jesus encontrou com Maria a caminho de Gólgota (Lucas, 23, 26-27);
  5. De quando Maria observou Jesus na cruz (João, 19, 25-27);
  6. De quando Maria recebeu Jesus da cruz (Mateus, 27, 55-61);
  7. De quando Maria viu Jesus sendo posto no seu sepulcro (João, 19, 40-42).
  • Rezando o Terço:

O modo de rezar o Terço das Sete Dores é bem descomplicado; para fazê-lo, basta:

  1. Realizar o sinal da cruz;
  2. Suplicar a oração de introdução;
  3. Rezar o ato de contrição;
  4. Orar 03 Ave-Marias;
  5. Refletir e professar sobre cada Dor de Maria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *