Oração de Santo Onofre: História, Vida e dia de Santo Onofre

Santo Onouphrius ou Santo Onofre, como se tornou conhecido no Brasil, foi um eremita egípcio que viveu entre os séculos IV e V.

Sendo tido como o padroeiro dos bêbados – já que, de acordo com os relatos existentes sobre o santo, o próprio teria lutado contra o alcoolismo no início de sua vida –, Onofre se popularizou bastante entre os ortodoxos e os católicos, especialmente durante as Cruzadas (XI-XII).

Santo Onofre
Santo Onofre

Dia de Santo Onofre

Tanto a Igreja Católica quanto a Igreja Ortodoxa escolheram o dia de Santo Onofre em 12 de julho para as festividades, já que essa foi a data em que o santo morreu.

Oração de Santo Onofre

Como Santo Onofre é conhecido como o patrono dos bêbados, as orações destinadas à ele, em geral, servem para clamar pelo seu auxílio no intento de superar o alcoolismo.

No entanto, também há outras preces designadas ao santo, as quais costumam pedir a realização de causas impossíveis e o sucesso nos investimentos. Confira a oração de Santo Onofre abaixo:

História de Santo Onofre

Todas as histórias existentes a respeito de Santo Onofre são provenientes da biografia que São Pafúncio escreveu sobre o eremita depois de tê-lo conhecido e acompanhado a sua morte.

Segundo esses relatos, Onofre era um monge que vivia em um mosteiro, mas que teria decidido isolar-se de quaisquer contatos sociais, após sentir que a vida solitária o chamava. Assim, o homem fugiu para o deserto, passando a levar uma vida de eremita, tal como fizeram João Batista e o Profeta Elias. Onofre viveu dessa forma, acompanhado apenas de si, por cerca de 60 anos, até quando encontrou São Pafúncio, um abade egípcio que seria canonizado posteriormente.

Pafúncio tinha decidido perambular por algum tempo pelo deserto, a fim de descobrir se também seria chamado à vida eremita. No entanto, após 21 dias de peregrinação, o religioso, totalmente exaurido, não encontrou mais forças para continuar a sua caminhada, caindo no chão. Nesse momento, o abade viu surgir sobre ele um homem de longos cabelos e barbas, que era Onofre. Aterrorizado com esse primeiro contato, Pafúncio tentou se afastar do velho. Contudo, Onofre rapidamente o acalmou, contando-lhe quem ele era, a sua trajetória e a sua história.

O santo, então, levou o abade à gruta em que morava, onde os dois conversaram durante a tarde toda. Inclusive, ao pôr-do-sol desse dia, um feito extraordinário aconteceu: surgiu, de súbito, pão e água – que, segundo a lenda, foi trazida por um anjo.

Na manhã seguinte, Onofre contou a Pafúncio que teve uma revelação de Deus. Nela, Ele dizia que a missão do abade não era se tornar um eremita, mas presenciar a morte do santo, retornar à sociedade e contar a todos o que havia vivido. Essa visão realmente se cumpriu; no dia 12 de julho, um anjo desceu dos céus, deu a eucaristia a Onofre, que, após isso, feneceu.

Pafúncio, então, pegou o corpo do santo e o enterrou em uma montanha. Depois disso, ele retornou à comunidade e começou a disseminar a história do eremita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *