São Valentim: Oração, História, Vida de São Valentim

Valentim de Terni ou São Valentim, como se popularizou, foi um bispo italiano que viveu no século III.

Visto como o padroeiro dos namorados, do amor, do noivado e do casamento, São Valentim é intensamente respeitado e venerado pelos cristãos, mesmo que a Igreja Católica, por falta de provas da sua existência e da sua condição de santo, tenha o retirado do Calendário Litúrgico.

São Valentim
São Valentim

Dia de São Valentim

Embora São Valentim não seja celebrado oficialmente desde 1969, muitos fiéis continuam comemoram o dia de São Valentim no dia 14 de fevereiro, que era a sua antiga data de culto. Além disso, nesse dia é comemorado, na maior parte do mundo, o Dia dos Namorados, visto que o santo era o patrono do amor.

Oração de São Valentim

Em razão de São Valentim ser tido como o protetor do amor, as preces destinadas a ele têm o objetivo, normalmente, de pedir a sua intercessão na missão de encontrar uma pessoa especial.

Ademais, também são comuns orações que peçam à figura o fortalecimento e a proteção de um relacionamento. Leia a oração de São Valentim:

História de São Valentim

Como mencionado anteriormente, São Valentim viveu no século III, período no qual o Império Romano – que dominava a África, a Ásia e a Europa – envolveu-se em diversos conflitos.

Assim, o Estado necessitava que os cidadãos se alistassem como combatentes, para que as batalhas pudessem ser ganhas. Contudo, isso não estava acontecendo, havendo pouquíssimos recrutamentos.

O Imperador da época, Cláudio II, associou isso ao fato de os homens não desejarem deixar para trás a sua esposa, a sua noiva ou a sua namorada para se lançar em uma guerra. Então, o soberano decretou que estaria proibida, durante o período de conflitos, a realização de quaisquer casamentos, por crer que os jovens, assim, se alistariam.

Valentim, no entanto, não concordou com essa lei, continuando a realizar as cerimônias de casamento dos casais que o procuravam. Quando isso foi descoberto, o santo foi severamente punido, sendo preso e, posteriormente, tendo sido condenado à morte por decapitação.

No ínterim entre a sua prisão e o cumprimento de sua sentença, Valentim recebeu vários bilhetes e presentes, que lhe contavam que existiam muitos fiéis gratos pelos seus feitos e que ainda acreditavam no amor. Dentre essas pessoas que enviaram cartas ao bispo, uma delas foi Artérias, a filha do carcereiro, por quem o santo se apaixonou. Os dois, no entanto, não puderam ficar juntos, já que o santo foi executado pouco tempo depois. Porém, antes disso, Valentim teria conseguido curar a sua amada, que era cega – aliás, esse foi o feito que levou a Igreja a canonizar o bispo e cultuá-lo até o século XX.

Carta de São Valentim à Artérias

Reza a lenda que, antes de sua execução, São Valentim conseguiu entregar um bilhete de despedida à Artérias, o qual teria sido finalizado com a frase “de seu Valentim”.

Dessa carta, que se popularizou rapidamente, acabou surgindo, entre a população da América do Norte e de alguns países da Europa, o costume de utilizar o termo “Valentine” para se referir ao seu namorado ou a sua namorada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *