São Geraldo: História, Vida, Oração e Dia de São Geraldo

São Geraldo

São Geraldo Magela foi um religioso italiano que viveu durante o século XVIII e que acabou se popularizando pelos seus feitos, sendo largamente venerado pela Igreja Católica.

Por ter sido erroneamente acusado de engravidar uma jovem, esse santo é tido como o padroeiro da gravidez. Além disso, ele também é considerado o patrono dos alfaiates e das pessoas que são falsamente incriminadas.

São Geraldo
São Geraldo

História de São Geraldo – Quem Foi?

Geraldo Magela nasceu no dia 06 de abril de 1726, em Muro Lucano – cidade situada ao sul da Itália. Vindo de família modesta, ele começou a trabalhar ainda jovem, aos 14 anos, quando o seu pai, que era o provedor da casa, faleceu.

Tendo aprendido a profissão do mesmo, que era alfaiate, Geraldo começou a trabalhar em uma oficina, onde continuou por 04 anos. Depois desse período, o jovem foi trabalhar para o bispo de Lacedônia, onde permaneceu até a morte do sacerdote.

Após isso, Geraldo tentou ingressar na Congregação dos Capuchinhos. No entanto, ele foi recusado, em razão de sua saúde, que era bastante debilitada. A Ordem do Santíssimo Redentor, por outro lado, o aceitou e o santo permaneceu associado à mesma até o fim de sua vida.

Em 1754, o religioso acabou sendo alvo de uma séria acusação, que se deu quando uma mulher, Néria Caggiano, o apontou como o pai do filho que ela esperava. No momento em que esse escândalo veio à tona, Geraldo se isolou, rogando fortemente por ajuda divina, para que a jovem que o acusava se arrependesse e dissesse a verdade, o que realmente aconteceu.

Esse acontecimento é importante por ter marcado muito a vida do santo, tanto que ele ficou conhecido, devido a isso, como o padroeiro das mulheres grávidas e daqueles que são acusados equivocadamente.

Um ano depois desse episódio, no dia 16 de outubro, aos 29 anos, o religioso veio a perecer, devido a um sério caso de tuberculose. soa beatificação foi concluída pelo papa Leão XII em 29 de janeiro de 1893. Mais de um século depois de sua morte, em 1904, ele foi canonizado, pelo Papa Pio X.

Conheça também:

Dia de São Geraldo Magela

Segundo a tradição da igreja católica, o dia de São Geraldo Magela é celebrado em 16 de outubro. O Santo é considerado o padroeiro das grávidas, e protetor das pessoas que são falsamente acusadas de algo.

Oração de São Geraldo

Como mencionado acima, São Geraldo é tido como o protetor das grávidas e da gravidez. Assim sendo, muitas das orações e das novenas destinadas a ele têm o intuito de pedir a sua intercessão durante a gestação.

Também, devido à fama de milagreiro que esse santo adquiriu ao longo de sua vida, há várias súplicas que pedem o seu auxílio na concretização de objetivos difíceis de serem realizados.

Milagres de São Geraldo

São Geraldo era conhecido por ter vários dons divinos. Conta a lenda que o religioso possuía o poder de estar em dois lugares simultaneamente, além conseguir prever futuros acontecimentos.

Também, o santo se popularizou pelos milagres que realizou, havendo dois, em específico, que são bastante famosos. O primeiro ocorreu quando Geraldo ressuscitou um garoto que havia caído de uma rocha.

Já o segundo feito teria acontecido quando o santo, para levar uma embarcação cheia de pescadores à orla, andou sobre as águas, carregando o barco por entre as ondas fortes que uma tempestade causava.

Jesus Misericordioso: Oração e Novena de Jesus Misericordioso

Jesus Miseriocordioso

Ao longo dos séculos, diversas denominações foram atribuídas a Jesus Misericordioso. Embora a maior parte desses nomes tenha sido retirada dos evangelhos bíblicos, algumas alcunhas surgiram de modos diferentes.

Foi isso o que aconteceu com o título “Jesus Misericordioso”, que se originou quando o Salvador se revelou a uma religiosa polonesa, a Santa Faustina Kowalska, no século passado.

Jesus Misericordioso
Jesus Misericordioso

Imagem de Jesus Misericordioso

De acordo com os relatos existentes, em 1930, Jesus apareceu à Santa Faustina, uma religiosa pertencente à Congregação das Irmãs de Nossa Senhora da Misericórdia. Nessa visão, que foi seguida por outras, o Messias teria dado várias instruções à freira, todas com o intuito de disseminar a Sua misericórdia pelo mundo.

Um dos pedidos realizados por Jesus foi o de que Ele fosse retratado em um quadro, o qual foi terminou de ser confeccionado em 1934, 04 anos após a primeira revelação à Faustina.

Essa imagem é caracterizada por possuir um complexo significado. Nela, Jesus tem os olhos voltados para baixo, a fim de representar o Seu olhar na cruz. Quanto à posição de Suas mãos, uma delas está elevada, em posição de benção, enquanto a outra toca o Seu peito esquerdo. Além disso, do coração de Cristo jorram dois raios, um de cor vermelha e outro e outro de cor branca; o primeiro simboliza o sangue, que é a vida dos espíritos, ao passo que segundo feixe representa a água, que regenera as almas.

Oração a Jesus Misericordioso

Sem dúvida, a aparição de Jesus reafirmou a Sua compaixão. Isso é claramente evidente em uma das declarações que o próprio Cristo fez, quando Ele disse que é misericordioso antes de juiz.

Assim, seguindo essa linha, as orações e o terço que se destinam a esse título de Jesus têm a finalidade de clamar pela Sua piedade, pelo Seu perdão e pelas Suas graças.

Saiba mais>

História de Jesus Misericordioso

Como apontado acima, o título “Jesus Misericordioso” foi relevado ao mundo quando Jesus apareceu à Maria Faustina Kowalska.

Mais conhecida como Santa Faustina, essa religiosa viveu durante o século XX, entre 1905 e 1938. Ela sempre esteve profundamente envolvida com o cristianismo, ingressando em um convento ainda jovem, aos 20 anos de idade.

As aparições do Salvador à Faustina começaram no ano de 1930, quando ela tinha 25 anos. Por meio dessas invocações, o Messias fez diversas exposições e pedidos à religiosa, todos com a finalidade de apresentá-lo ao mundo como o Rei da Misericórdia.

Dentre o que foi revelado à Santa, dois fatos merecem um destaque especial: o horário da morte de Cristo e o Terço da Misericórdia. Jesus contou que pereceu na cruz às três horas da tarde, horário em que Ele não negará a Sua bondade àqueles que meditarem sobre a Sua Paixão e a Sua Morte. Além disso, o Salvador apresentou o Terço da Misericórdia aos cristãos; segundo Ele, o fiel que rezar esse terço será contemplado com o perdão divino e com maravilhosas graças, desde que o mesmo possua fé e verdade no coração.

Divino Pai Eterno: Oração e Dia do Divino Pai Eterno

A denominação Divino Pai Eterno consiste em um dos títulos atribuídos a Deus. Esse nome aponta que o Criador nos enxerga como filhos, tratando-nos como tal.

Isso, porém, era desconhecido até a vinda do Salvador. Até então, considerava-se um atrevimento se referir a Deus como pai. Assim, foi Cristo quem revelou que o Criador é o Pai de todos.

Divino Pai Eterno
Divino Pai Eterno

História do Divino Pai Eterno

A alcunha “Divino Pai Eterno” passou a ser adorada em meados do século XIX, em 1840. Nesse ano, Ana Rosa de Oliveira e Constantino Xavier Maria encontraram uma imagem que deu origem ao culto.

Tudo começou quando o casal se mudou para o extinto município de Campinas – atual capital de Goiás, Goiânia. Em determinado dia, enquanto preparava a terra para o plantio, Constantino achou um medalhão de barro enterrado. O objeto trazia um desenho em sua extensão, que ilustrava o Criador coroando a Virgem Maria.

Esse achado foi visto pelo casal como um sinal divino. Então, eles começaram a se juntar com os seus familiares para adorar o artefato, passando a se referir ao mesmo como Medalhão do Divino Pai Eterno.

O que surpreendeu a todos foi que, pouco tempo após o início dos cultos, diversas graças começaram a ocorrer na vida desses fiéis. Isso começou a se espalhar de maneira extremamente rápida, atraindo dezenas de pessoas até a casa de Santa Ana e Constantino.

Como o culto ao medalhão cresceu velozmente, a população da região se organizou para erguer uma capela para o objeto. O templo, porém, logo ficou pequeno, já que o fluxo de peregrinos apenas aumentava, de modo que ainda foram construídas duas capelas maiores.

Significado e Simbolismo do Divino Pai Eterno

O nome “Divino Pai Eterno” possui um amplo e elaborado simbolismo, que possui o intuito de se referir às três verdades atribuídas ao Criador.

O termo “Divino” faz alusão ao aspecto sobrenatural e extraordinário de Deus, o que tem o objetivo de ressaltar a Sua perfeição. A expressão “Pai”, por sua vez, tem a finalidade de apontar que o Senhor é o nosso pai, ou seja, quem nos conhece e quem nos ama. A palavra “Eterno”, por fim, indica que Deus sempre existiu e sempre existirá.

Novena do Divino Pai Eterno

As novenas são celebrações realizadas em homenagem a certa figura. Elas possuem nove dias de duração e têm o propósito de agradecer ou de rogar a alguma entidade divina. Por isso, a realização desses cultos é um hábito muito frequente entre os fiéis.

Como o título “Divino Pai Eterno” se difundiu bastante, especialmente dentro do Brasil, as novenas em homenagem a ele são bem populares. Elas possuem os objetivos de clamar a realização de alguma causa e de rogar por auxílio na tentativa de seguir um caminho correto.

Oração de Cura do Divino Pai Eterno

No geral, as preces destinadas ao Divino Pai Eterno têm uma finalidade semelhante à das novenas, sendo utilizadas para o alcance de graças. Além disso, as orações também costumam clamar pelo perdão de Deus.

São Longuinho: História, Vida, Oração e Dia de São Longinho

São Longuinho

São Longuinho, que também é chamado de Longino, simboliza uma das principais figuras do catolicismo, sendo amplamente cultuado como o patrono dos esquecidos e como o santo dos objetos perdidos.

Acredita-se que ele tenha sido o guerreiro romano que reconheceu Jesus Cristo como o Salvador, após a morte do Messias.

São Longuinho
São Longuinho

História de São Longuinho – Quem foi?

Acredita-se que Longino foi um soldado romano. Ele teria sido um dos escolhidos para acompanhar Jesus pela Via Dolorosa – que foi o caminho que o Messias teve de percorrer até o Monte Calvário, onde foi crucificado.

Nessa época, era norma que os sentenciados perecessem até o pôr-do-sol. Assim, para confirmar que Jesus estava realmente morto, um dos guerreiros presentes, que teria sido Longuinho, o feriu com uma lança. Ao fazer isso, uma mistura de sangue e água começou a brotar da ferida, respingando nos olhos do soldado e sarando-o de uma doença que ele tinha nos olhos.

Então, quando Longuinho percebeu que havia sido curado, ele reconheceu Cristo como o Filho de Deus, convertendo-se ao Cristianismo e abandonando o exército romano.

Depois da deserdação, o guerreiro teria fugido para Capadócia, onde foi descoberto e entregue a Pilatos. O governador, então, teria condenado o soldado à morte, após não conseguir obrigá-lo a negar a sua fé, mesmo depois de longas torturas.

Oração de São Longuinho

Como pôde ser visto, São Longuinho usufruiu da compaixão de Cristo mesmo depois de ter contribuído para a sua crucificação. Assim, muitas das orações destinadas à figura servem para pedir o seu auxílio na tentativa de alcançar o perdão de Deus, além de servirem para pedir a sua intervenção no ato de trilhar um caminho honesto e digno.

Também, existem várias súplicas que servem para rogar pela ajuda do santo na tentativa de encontrar alguma coisa perdida. E, além dessas preces, há uma simpatia muito famosa com esse mesmo intuito, que é a de prometer três pulinhos a São Longuinho, caso ele ajude a pessoa localizar determinado objeto.

Milagres de São Longuinho

Como mencionado acima, São Longuinho é popular por auxiliar os seus devotos a encontrarem objetos perdidos. E, além de ser o autor dessas graças, o santo é tido como o responsável pelo seu próprio processo de canonização.

Conta a história que o Papa Silvestre II, em 999, tinha feito com que o procedimento necessário à santificação de Longuinho avançasse bastante. No entanto, faltavam alguns documentos, que tinham se perdido ao longo dos anos.

Então, o Papa teria rogado pela intercessão do santo, que, pouco tempo depois do pedido, o ajudou a encontrar esses papéis. Desse modo, a canonização pôde ser concluída.

São Longuinho na Umbanda

Na Umbanda, São Longuinho foi sincretizado com o Ogum Sete-Lanças, um dos falangeiros de Ogum.

De acordo com as lendas, esse mensageiro se caracteriza por vestir as cores vermelha e prata, por sempre carregar sete espadas e por se ligar à energia de Ogum. O Orixá costuma enviá-lo aos terreiros com a finalidade de proteger os seus filhos contra os males que possam atingi-los, tendo, portando, uma função semelhante a do Caboclo Sete-Flechas.

São Patrício: História, Vida e dia de São Patrício

São Patrício

São Patrício, que também é conhecido como Patrício da Irlanda, foi um bispo ortodoxo que viveu entre os séculos IV e V.

Tendo se tornado extremamente popular após a sua morte, esse santo é amplamente venerado pelos católicos, pelos ortodoxos, pelos anglicanos e pelos luteranos. Aliás, o mesmo é tido por estes como o padroeiro da Irlanda, além de ser bastante reclamado pelos cristãos que desejam se proteger de bruxarias e de infortúnios.

São Patrício
São Patrício

Dia de São Patrício

Todas as igrejas que veneram o Santo elegeram o dia de São Patrício 17 de março para a sua celebração litúrgica, que consiste no aniversário de morte do santo. Inclusive, na Irlanda, esse dia é um feriado nacional, o qual é conhecido como “A Glória da Irlanda”.

Oração de São Patrício

Como mencionado anteriormente, São Patrício é extremamente popular entre os cristãos. Desse modo, há diversas orações em seu nome, as quais visam pedir alguma graça à figura.

Dentre essas preces, a mais famosa é a “Couraça de São Patrício”. A mesma tem o objetivo de suplicar pela proteção do santo contra possíveis magias e contra sentimentos negativos, além de servir para pedir o amparo da figura no ato de respeitar e de acatar os desejos divinos. Leia a oração de São Patrício:

História de São Patrício

A maior parte das informações existentes sobre São Patrício provém de um livro que o próprio escreveu, de caráter autobiográfico e que se denomina “Confissão”.

De acordo com essa obra, o santo nasceu em 377, em Banwen – região que atualmente pertence ao País de Gales. Tendo sido criado em uma família cristã, Patrício teve uma educação baseada nos dogmas do cristianismo, acabando por se interessar pelo estudo da religião durante a adolescência.

Logo nessa época, porém, o jovem foi sequestrado por um bando de piratas irlandeses, que o comercializaram como escravo. Patrício, então, viu-se obrigado a viver e a trabalhar em um ambiente agressivo e pagão, até que conseguiu fugir e retornar à Grã-Bretanha.

Chegando ao País de Gales, o santo decidiu ir à França, onde entrou em contato com diferentes comunidades e acabou ingressando na vida religiosa. No início dessa sua caminhada, Patrício acompanhou São Germano de Auxerre por um bom tempo, evangelizando com ele pelas Ilhas da Grã-Bretanha.

No entanto, o real desejo do jovem era voltar à Irlanda, a fim de converter aquela comunidade que o tinha subjugado. Isso não tardou muito a acontecer. Em 432, o Papa Celestino I convidou o santo a continuar a Missão Apostólica que o bispo Paládio tinha iniciado na Irlanda, mas que não pôde concluir. O missionário, então, passou a pregar com fervor e respeito para os irlandeses, acabando por conquistar a maioria deles e por transformar o país em um dos principais propagadores do cristianismo.

O êxito da empreitada de São Patrício foi tamanho que ele não retornou ao País de Gales, vivendo na Irlanda até a data de sua morte, em 17 de março de 461. Inclusive, a cidade onde o santo morava, que se chamava Down, foi renomeada para Downpatrick, em sua homenagem.

São Valentim: Oração, História, Vida de São Valentim

Valentim de Terni ou São Valentim, como se popularizou, foi um bispo italiano que viveu no século III.

Visto como o padroeiro dos namorados, do amor, do noivado e do casamento, São Valentim é intensamente respeitado e venerado pelos cristãos, mesmo que a Igreja Católica, por falta de provas da sua existência e da sua condição de santo, tenha o retirado do Calendário Litúrgico.

São Valentim
São Valentim

Dia de São Valentim

Embora São Valentim não seja celebrado oficialmente desde 1969, muitos fiéis continuam comemoram o dia de São Valentim no dia 14 de fevereiro, que era a sua antiga data de culto. Além disso, nesse dia é comemorado, na maior parte do mundo, o Dia dos Namorados, visto que o santo era o patrono do amor.

Oração de São Valentim

Em razão de São Valentim ser tido como o protetor do amor, as preces destinadas a ele têm o objetivo, normalmente, de pedir a sua intercessão na missão de encontrar uma pessoa especial.

Ademais, também são comuns orações que peçam à figura o fortalecimento e a proteção de um relacionamento. Leia a oração de São Valentim:

História de São Valentim

Como mencionado anteriormente, São Valentim viveu no século III, período no qual o Império Romano – que dominava a África, a Ásia e a Europa – envolveu-se em diversos conflitos.

Assim, o Estado necessitava que os cidadãos se alistassem como combatentes, para que as batalhas pudessem ser ganhas. Contudo, isso não estava acontecendo, havendo pouquíssimos recrutamentos.

O Imperador da época, Cláudio II, associou isso ao fato de os homens não desejarem deixar para trás a sua esposa, a sua noiva ou a sua namorada para se lançar em uma guerra. Então, o soberano decretou que estaria proibida, durante o período de conflitos, a realização de quaisquer casamentos, por crer que os jovens, assim, se alistariam.

Valentim, no entanto, não concordou com essa lei, continuando a realizar as cerimônias de casamento dos casais que o procuravam. Quando isso foi descoberto, o santo foi severamente punido, sendo preso e, posteriormente, tendo sido condenado à morte por decapitação.

No ínterim entre a sua prisão e o cumprimento de sua sentença, Valentim recebeu vários bilhetes e presentes, que lhe contavam que existiam muitos fiéis gratos pelos seus feitos e que ainda acreditavam no amor. Dentre essas pessoas que enviaram cartas ao bispo, uma delas foi Artérias, a filha do carcereiro, por quem o santo se apaixonou. Os dois, no entanto, não puderam ficar juntos, já que o santo foi executado pouco tempo depois. Porém, antes disso, Valentim teria conseguido curar a sua amada, que era cega – aliás, esse foi o feito que levou a Igreja a canonizar o bispo e cultuá-lo até o século XX.

Carta de São Valentim à Artérias

Reza a lenda que, antes de sua execução, São Valentim conseguiu entregar um bilhete de despedida à Artérias, o qual teria sido finalizado com a frase “de seu Valentim”.

Dessa carta, que se popularizou rapidamente, acabou surgindo, entre a população da América do Norte e de alguns países da Europa, o costume de utilizar o termo “Valentine” para se referir ao seu namorado ou a sua namorada.

Oração de Santo Onofre: História, Vida e dia de Santo Onofre

Santo Onofre

Santo Onouphrius ou Santo Onofre, como se tornou conhecido no Brasil, foi um eremita egípcio que viveu entre os séculos IV e V.

Sendo tido como o padroeiro dos bêbados – já que, de acordo com os relatos existentes sobre o santo, o próprio teria lutado contra o alcoolismo no início de sua vida –, Onofre se popularizou bastante entre os ortodoxos e os católicos, especialmente durante as Cruzadas (XI-XII).

Santo Onofre
Santo Onofre

Dia de Santo Onofre

Tanto a Igreja Católica quanto a Igreja Ortodoxa escolheram o dia de Santo Onofre em 12 de junho para as festividades, já que essa foi a data em que o santo morreu.

Oração de Santo Onofre

Como Santo Onofre é conhecido como o patrono dos bêbados, as orações destinadas à ele, em geral, servem para clamar pelo seu auxílio no intento de superar o alcoolismo.

No entanto, também há outras preces designadas ao santo, as quais costumam pedir a realização de causas impossíveis e o sucesso nos investimentos. Confira a oração de Santo Onofre abaixo:

História de Santo Onofre

Todas as histórias existentes a respeito de Santo Onofre são provenientes da biografia que São Pafúncio escreveu sobre o eremita depois de tê-lo conhecido e acompanhado a sua morte.

Segundo esses relatos, Onofre era um monge que vivia em um mosteiro, mas que teria decidido isolar-se de quaisquer contatos sociais, após sentir que a vida solitária o chamava. Assim, o homem fugiu para o deserto, passando a levar uma vida de eremita, tal como fizeram João Batista e o Profeta Elias. Onofre viveu dessa forma, acompanhado apenas de si, por cerca de 60 anos, até quando encontrou São Pafúncio, um abade egípcio que seria canonizado posteriormente.

Pafúncio tinha decidido perambular por algum tempo pelo deserto, a fim de descobrir se também seria chamado à vida eremita. No entanto, após 21 dias de peregrinação, o religioso, totalmente exaurido, não encontrou mais forças para continuar a sua caminhada, caindo no chão. Nesse momento, o abade viu surgir sobre ele um homem de longos cabelos e barbas, que era Onofre. Aterrorizado com esse primeiro contato, Pafúncio tentou se afastar do velho. Contudo, Onofre rapidamente o acalmou, contando-lhe quem ele era, a sua trajetória e a sua história.

O santo, então, levou o abade à gruta em que morava, onde os dois conversaram durante a tarde toda. Inclusive, ao pôr-do-sol desse dia, um feito extraordinário aconteceu: surgiu, de súbito, pão e água – que, segundo a lenda, foi trazida por um anjo.

Na manhã seguinte, Onofre contou a Pafúncio que teve uma revelação de Deus. Nela, Ele dizia que a missão do abade não era se tornar um eremita, mas presenciar a morte do santo, retornar à sociedade e contar a todos o que havia vivido. Essa visão realmente se cumpriu; no dia 12 de junho, um anjo desceu dos céus, deu a eucaristia a Onofre, que, após isso, feneceu.

Pafúncio, então, pegou o corpo do santo e o enterrou em uma montanha. Depois disso, ele retornou à comunidade e começou a disseminar a história do eremita.

São Luís Gonzaga: Oração, História, Vida de São Luis Gonzaga

São Luís Gonzaga foi um nobre italiano que viveu no século XVI.  Tendo sido beatificado e canonizado, o santo é bastante cultuado pelos católicos, sendo visto como o padroeiro da juventude, dos estudantes e dos seminaristas.

São Luís Gonzaga
São Luís Gonzaga

Dia de São Luís Gonzaga

O dia de São Luís Gonzaga elegido para as festividades litúrgicas foi o dia 21 de junho, que marca o aniversário de morte da figura.

Oração de São Luís Gonzaga

Em razão de São Luís Gonzaga ser o padroeiro da juventude, a grande maioria das preces destinadas ao santo serve para pedir a sua intercessão pelos jovens.

Ademais, também é comum que essas orações roguem pelo auxílio da figura no ato de manter-se afastado do mal e do pecado. Leia abaixo uma oração de São Luís Gonzaga.

História de São Luís Gonzaga

São Luís Gonzaga nasceu em 1568, em Roma. Sendo o filho mais velho do Marquês de Castiglione, que era o comandante do exército imperial, ele foi criado para que continuasse a carreira de seu pai. Porém, conjuntamente a essa educação austera, o menino também foi introduzido ao cristianismo, o que acabou definindo e mudando completamente o seu futuro.

Quando tinha 11 anos, Luís foi enviado à Espanha, onde pôde servir como pajem do filho de Dom Filipe II, dedicar-se à filosofia e aprofundar-se no nos escritos cristãos. Assim, aos 14 anos, ainda em terras espanholas, o santo finalmente recebeu a sua primeira comunhão, que foi dada ao jovem pelo Cardeal Carlos Borromeu – que viria a ser canonizado após a sua morte. Esse momento foi decisivo na vida de Luís, que decidiu, após a emoção que vivenciou, tornar-se um jesuíta.

O pai do menino, porém, recusou veementemente essa ideia e tentou dissuadi-lo de diversas formas, levando-o, inclusive, a festas e a festins que ofereciam os mais variados prazeres profanos. Luís, no entanto, manteve-se fiel à sua decisão, de modo que o marquês acabou por aceitar a decisão do filho. O santo, então, ingressou na Companhia de Jesus de Roma, abrindo mão do seu título de nobreza e dos seus bens materiais para isso.

Depois de certo tempo, Luís acabou saindo de Roma, indo aonde fosse necessário para continuar a sua formação. No entanto, em 1590, o santo retornou à sua cidade natal. Quando chegou lá, ele se deparou com uma situação caótica, que vinha sendo causada por um surto de tifo – doença infecciosa. O jesuíta, então, começou a ajudar os enfermos do modo que podia, até que ele próprio contraiu a moléstia, vindo a falecer em 1591, aos 23 anos.

Milagres de São Luís Gonzaga

Um dos feitos mais espantosos de São Luís aconteceu quando o santo, junto à sua mãe e ao seu irmão, foi à Monteferrato, uma cidade italiana.

Durante o percurso, o carro que levava os três dividiu-se em duas metades, no momento em que atravessava uma torrente. A parte da frente ainda conseguiu cruzar o rio, mas a de trás, que transportava Luís, foi carregada pela força da água.

Percebendo o perigo que corria, o santo rogou por uma intercessão divina. Então, a metade do carro que o carregava foi de encontro a um tronco de madeira, estacando, de modo que Luís pôde esperar por ajuda à salvo.

Santa Efigênia: Oração, História, Vida de Santa Efigênia

Ifigênia de Etiópia ou Santa Efigênia, como é conhecida no Brasil, foi uma princesa egípcia que se tornou cristã, sendo a principal responsável pela dispersão do cristianismo na Etiópia – Estado pertencente ao continente Africano.

Além de ser vista como a padroeira dos militares, Santa Efigênia costuma interceder bastante por aqueles que desejam conquistar a sua própria casa, sendo, assim, demasiadamente popular e querida pelos cristãos.

Santa Efigênia
Santa Efigênia

Dia de Santa Efigênia

O dia de Santa Efigênia, escolhido para as festas em sua comemoração foi o 21 de setembro, por ser a mesma data em que se comemora São Mateus, que foi o seu evangelizador.

Oração de Santa Efigênia

Como mencionado anteriormente, a Santa Efigênia é conhecida por auxiliar os seus fiéis a conquistarem a sua própria residência. Por conta disso, grande parte das orações que são destinadas à santa possui essa finalidade.

Também, há várias súplicas que rogam pela intercessão de Efigênia na tarefa de se manter afastado dos pecados e seguir o cristianismo, tal como a santa fez. Leia a oração de Santa Efigênia abaixo:

História de Santa Efigênia

Efigênia, filha de Eggipus e Eugenisa, nasceu e viveu em Núbia, uma pequena região da Etiópia que era governada pelos seus pais. Tendo crescido em um ambiente pagão, Efigênia creu no paganismo durante boa parte de sua vida, até que foi apresentada ao cristianismo.

Isso aconteceu quando São Mateus, em seu trabalho de evangelização, chegou à capital de Núbia. Embora todos o tenham taxado de louco, a princesa resolveu escutá-lo, acreditando no que ele dizia e se convertendo ao cristianismo.

Quando os dois principais sacerdotes do reino souberam disso, eles temeram perder a influência que tinham, caso Mateus conseguisse, com a ajuda da santa, converter outras pessoas. Então, resolveram espalhar boatos de que o apóstolo havia ofendido os deuses pagãos, que seriam apaziguados apenas se Efigênia fosse oferecida como sacrifício.

O rei, convencido pelos homens, acatou a vontade deles, condenando a sua filha à morte na fogueira. Porém, quando o fogo foi aceso, a santa invocou o nome de Jesus com toda a sua fé e, então, um anjo desceu do céu e a retirou da fogueira. Após isso, o rei, a rainha e a maior parte da população de Etiópia acataram ao cristianismo.

Efigênia, ainda, veio a passar por outras terríveis provações. Quando os seus pais morreram, Hirtaco, seu tio, rebelou-se contra Eufrônio, irmão da princesa e sucessor do trono. Ao assumir o poder, o tirano decidiu que queria se casar com Efigênia. Para conseguir isso, ele recorreu a Mateus, oferecendo metade do reino a ele, caso conseguisse convencer a princesa. O apóstolo, contudo, negou o seu pedido, o que enfureceu Hirtaco, que condenou o discípulo a morte, além de ordenar que incendiassem a casa de Efigênia. O fogo, porém, dissipou-se do lugar e se inflamou no palácio, queimando tudo. O rei, então, fugiu, e Eufrônio assumiu o seu lugar.

Efigênia teve uma morte bastante pacífica, tendo sido avisada por Deus quando o momento havia chegado. A santa, então, deixou o seu corpo ser tomado por uma moléstia, recebendo com grande felicidade o seu destino, que a levaria para perto de Jesus.

Santa Cecília: Oração, História, Vida de Santa Cecília

Santa Cecília, que é tida como a padroeira dos músicos, da música sacra e dos poetas, foi uma nobre romana que, de acordo com a crença cristã, morreu como mártir, no século II d.C.

Tendo sido a primeira santa incorrupta a ser encontrada, Cecília foi intensamente cultuada durante a Idade Média e Moderna, tanto pelos ortodoxos quanto pelos católicos.

Santa Cecília
Santa Cecília

Dia de Santa Cecília

Para as comemorações litúrgicas em favor de Santa Cecília, a Igreja Ocidental, e a Oriental elegeram o dia de Santa Cecília em 22 de novembro.

Oração de Santa Cecília

Como Santa Cecília é considerada a protetora dos músicos, muitas das orações destinadas à figura servem para pedir o seu auxílio no ato de cultivar a alegria e de afastar a tristeza.

Ademais, há varias preces que também pedem a ajuda da santa no exercício de ser um bom e digno cristão, capaz de abdicar dos prazeres mundanos em prol de Cristo.

História de Santa Cecília

Cecília era filha de um antigo senador romano, tendo nascido em uma rica e nobre família.

Embora tenha se convertido ao cristianismo ainda enquanto criança e decidido que adotaria a castidade por toda a sua vida, a santa foi forçada, pelos seus pais, a se casar com o romano Valeriano.

Quando Cecília ficou a sós com o seu esposo, logo após o casamento, ela resolveu contar-lhe tudo, dizendo que era cristã e que tinha feito um voto de pureza com Cristo. O pagão, enternecido e admirado, respeitou o desejo de sua esposa e resolveu também se converter, convencendo, inclusive, o seu irmão Tibúrcio a fazer o mesmo.

Ao tomar conhecimento disso, o prefeito de Roma, Turcius Almachius, ordenou que os irmãos se apresentassem diante do tribunal e adotassem novamente o paganismo. Valeriano e Tibúrcio, porém, recusaram-se a fazer isso, o que acabou culminando na decapitação dos dois.

Devido a esse episódio, Cecília foi intimada a entregar os pertences de valor do seu esposo e do irmão dele. No entanto, a santa já havia os doado aos pobres, o que enfureceu Almachius. O prefeito, então, teria tentado obrigar Cecília a cultuar os deuses pagãos, mas a santa manteve-se firme na sua fé.

Vendo a resolução da jovem, Turcius ordenou que ela fosse trancada no balneário de sua residência, para que morresse asfixiada pelo vapor de água. Cecília, contudo, saiu ilesa do banho, o que fez com que o déspota ordenasse a sua decapitação.

Conta a lenda que a santa teria recebido três golpes em seu pescoço antes que caísse no chão, ainda com a cabeça presa ao corpo, porém, com um ferimento mortal. Depois disso, Cecília teria agonizado por três dias e falecido.

Milagres de Santa Cecília

Além de ter resistido à decapitação e de ter suportado um banho de água fervente, Cecília realizou outros feitos extraordinários mesmo após a sua morte. Um dos mais famosos foi a sua aparição ao Papa Pascoal I, na qual a santa teria revelado onde se encontrava o seu corpo e os de Valeriano e Tibúrcio, que descansavam junto a ela no mesmo sepulcro.