São Daniel Comboni

 

Nasceu em 15 de março de 1831 em Limone, sul de Garda, Itália.  

Educado no Instituto Padre Mazza em Verona, Itália. estudou  teologia, medicina e várias línguas. Foi ordenado em 1854.  Em seguida foi missionário no Sudão mas retornou em 1589 devido a problemas de saúde. Ensinou no Instituto  Mazza de 1861 a 1864. Escreveu vários artigos enfatizando as necessidades de ajuda a África.
O seu trabalho foi utilizado no “Salve a África” que tratava os africanos como adultos que necessitavam de uma ajuda e não como crianças que necessitavam de  condução e guia, o que era o que se pensava na época em quase toda a Europa.
Viajou pela Espanha, Inglaterra, Alemanha  e Áustria em missões de coleta de fundos para  referida ajuda a África.

Em 1867 em Verona ele fundou o “Instituto das Missões per la Nigrizia” para padres e irmãos e o Instituto delle Pie Madri para mulheres que desejassem trabalhar na África. Eles  ficaram conhecidos com o Missionários Combonianos, e em 1894  passaram a ser a “Congregação dos Filhos do Sagrado Coração”.

São Daniel Comboni escreveu um trabalho para o 1° Concilio do Vaticano sobre a necessidade do envolvimento da Igreja na conversão dos africanos. Foi indicado Núncio Apostólico para Africa Central em 1872 cobrindo Núbia, Sudão e Egito, e ainda o território ao sul dos lagos com cerca de 100.000.000 de pessoas. Ele fundou missões em El-Obeid, em Khartoum , Berber, Delen e Malbes. Foi ainda Bispo titular de Claudiópolis e Bispo de Khartoum em 1877.

Ajudou a acabar com o tráfico de escravos na região. Traduziu trabalhos religiosos em vários dialetos africanos. Ele falava 6 línguas européias, árabe e vários dialetos africanos.

A Congregação Comboniana tem hoje cerca de padres, hospitais-escolas e orfanatos em 41 paises.

Ele faleceu em 10 de outubro de 1881 de  causas naturais em Khartoum , Sudão.

Foi canonizado em 5 de outubro de 2003 pelo Para João Paulo II na Basílica de São Pedro em Roma.

 

Sua festa  é celebrada no dia 10 de outubro.